Veneza tem canais cristalinos com quarentena por Covid-19

Veneza tem canais cristalinos com quarentena por Covid-19

Último Vídeo

A fama de Veneza não se fez à toa. Os belos canais que cortam a cidade italiana atraem, em média, 25 milhões de turistas a cada ano, fazendo girar a economia local. Mas receber tantas pessoas assim traz muitos problemas, entre eles, a poluição da maior riqueza veneziana: seus canais.

Com a pandemia do coronavírus que se multiplica, dia após dia a Itália vive momentos de ansiedade e medo. O número de mortos no país ultrapassa os 1,8 mile as medidas de prevenção ao coronavírus esvaziaram as ruas de diversas cidades. Entre elas, claro, Veneza.

O clima é de tensão, mas em meio às incertezas, Veneza pode estar colhendo um “benefício” com o desaparecimento dos turistas. Segundo uma página no Facebook e uma conta no Twitter chamadas “Veneza Limpa”, os canais e a Praça de São Marcos estão, aparentemente, mais limpos. Além disso, a vida selvagem parece estar retornando à Veneza.

Fotos de peixes nadando em águas mais claras, aves migratórias, cisnes deslizando pelos canais, a água mais azul brilhante da lagoa próxima ao Arsenale se multiplicam nas redes sociais. “Imagens incríveis do Rio dei Freali, atrás da Praça de São Marcos, que geralmente é sombria. A natureza recupera seus espaços”, diz a legenda de um vídeo.

“É maravilhoso ver até peixes”, “Que maravilha foi essa Veneza; esse vírus trouxe algo... belo”, escreveram os internautas.

Em entrevista à CNN, o gabinete do prefeito de Veneza disse que a mudança ocorre pela diminuição no tráfego de barcos nos canais, o que permite que os sedimentos permaneçam no fundo. Além disso, um porta-voz garantiu que o ar está menos poluído devido ao tráfego reduzido de vapores e barcos, e ao movimento restrito dos moradores.

A pandemia continua, os casos suspeitos, confirmados e as mortes continuam crescendo, mas em meio a isso, os canais de Veneza vivem um momento de “tranquilidade”.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.