Seja o primeiro a compartilhar

USP estuda máscaras com até 97% de eficácia contra o coronavírus

Um grupo de pesquisadores da USP está desenvolvendo máscaras com até 97% de eficiência em reter o novo coronavírus. O projeto (respire!, coordenado pelo Centro de Inovação da USP, produzirá 1 milhão de unidades que serão distribuídas entre 8 mil profissionais da saúde em atividade nos hospitais. 

Para tanto, o projeto conta com a ajuda de cooperativas de costureiras que serão organizadas pela empresa Tecido Social. 

Segundo o professor Paulo Artaxo, do Instituto de Física da USP e um dos responsáveis pelo projeto, foi necessário testar máscaras de diferentes materiais para medir a eficiência de cada uma na retenção de partículas nanométricas. 

Afinal, o novo coronavírus tem 120 nanômetros em média – para fins de comparação, 1 nanômetro é um bilhão de vezes menor que 1 metro. O estudo foi feito a partir de um gerador de aerossóis capaz de produzir partículas do tamanho do coronavírus, associado a um sistema eletrônico de detecção.

a  USP 

“Já existem evidências científicas de que a eficiência na retenção para partículas tão pequenas varia muito entre máscaras de uma mesma classe e entre diferentes produtos usados para confeccioná-las”, explica o professor. Isso significa que nem todas as máscaras te protegem contra o vírus.

O foco deste estudo são máscaras para hospitais, que precisam ser de TNT. No entanto, os pesquisadores também incluíram o algodão na pesquisa, a fim de mensurar a qualidade das máscaras caseiras. No final da análise, os materiais estudados apresentaram entre 60% e 97% de filtragem.

“Alguns TNTs têm eficiência de 97% na retenção de partículas, similar ao material das máscaras necessárias para equipes médicas que lidam diretamente com pacientes contaminados.”, afirma o professor da Escola Politécnica da USP e também coordenador do projeto, Vanderley John.

Como demonstrado no gráfico anterior, as máscaras caseiras feitas com algodão de camiseta, uma opção acessível e prática, apresentam uma retenção de 60%. “Produtos com este nível de eficiência podem ser bons para quem sai à rua ou vai fazer compras e teria possibilidade de ficar exposto momentaneamente ao vírus.”

USP estuda máscaras com até 97% de eficácia contra o coronavírus via TecMundo

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER