Pacientes imunizados se voluntariam para pesquisas sobre covid-19

Pacientes imunizados se voluntariam para pesquisas sobre covid-19

Último Vídeo

Tentar encontrar uma cura, vacina ou apenas entender mais sobre a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, é essencial para que seja vencida a luta contra a pandemia. Nesse espírito de ajudar no combate, 100 pacientes brasileiros que estão imunizados contra o vírus se voluntariaram para doar sangue e auxiliar nas pesquisas. 

(Fonte: Pexels)(Fonte: Pexels)

Os voluntários brasileiros

O grupo de 100 pessoas foi reunido pelo Incor, em conjunto com a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), e fará parte da pesquisa que busca anticorpos resistentes ao vírus. Como são voluntários, não receberam nenhuma quantia em pagamento, portanto, apenas estão tentando ajudar a pesquisa brasileira a vencer a luta contra a covid-19. 

A maior parte desses voluntários sabe as dificuldades que é contrair a doença e tem noção da importância que é buscar a cura da covid-19. Cada um deles esteve em situações diferentes por causa do novo coronavírus, mas todos entendem o perigo que ele traz.

Voluntários ainda são buscados, já que quanto maior o banco de dados, maiores são chances de encontrar uma solução. As inscrições podem ser feitas no site do Instituto de Investigação em Imunologia

Busca pela vacina da covid-19

A pesquisa para qual os voluntários estão se inscrevendo é coordenada por Edecio Cunha Neto e chefiada pelo médico e professor da USP Jorge Kalil, que também é coordenador do Instituto de Investigação em Imunologia. Tal pesquisa, segundo Cunha Neto, será feita, em sua a primeira etapa, utilizando os 100 voluntários já inscritos. 

Segundo Jorge Kalil, no vídeo que está acima, a amostragem de sangue coletada é pequena, mas pode ajudar os pesquisadores a encontrarem uma vacina, que é a solução definitiva para a doença. O médico afirma que os imunizados tem informações importantes, que podem ser acessadas pela doação e análise do sangue.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.