Múmia milenar de guerreiro era, na verdade, menina de 12 anos

Múmia milenar de guerreiro era, na verdade, menina de 12 anos

Último Vídeo

Uma escavação de emergência realizada em 1988, na Sibéria, especificamente na República de Tuva, atualmente parte da Rússia, revelou a tumba de um "guerreiro" mumificado em ótimo estado de preservação.

Na época, os arqueólogos responsáveis pela descoberta, Marina Kilunovskaya e Vladimir Semyonov, identificaram a múmia como sendo de um rapaz de 12 anos. Contudo, novas tecnologias revelaram agora que, na verdade, trata-se de um corpo feminino.

O que os pesquisadores encontraram?

Tumba. (Fonte:  Vladimir Semyonov, M.O. Mashezerskaya / The Siberian Times)Tumba. (Fonte:  Vladimir Semyonov, M.O. Mashezerskaya / The Siberian Times)

Ao abrirem a tumba, os arqueólogos ficaram impressionados com o estado da múmia, que preservara até mesmo uma verruga no rosto, mesmo tendo cerca de 2.600 anos.

O corpo foi sepultado com armas, incluindo um machado de batalha, um arco e dez flechas de 70 centímetros cada. Eles também notaram um corte em seu abdômen, indicando que houve tentativa de mumificação artificial.

Por suas características, a múmia foi associada aos Citas e Sármatas, povos iranianos com relações parentescas que dominaram a Cítia, vasta região da Eurásia, na Antiguidade.

Sinais de prestígio

Flechas. (Fonte:  Vladimir Semyonov, M.O. Mashezerskaya / The Siberian Times)Flechas. (Fonte:  Vladimir Semyonov, M.O. Mashezerskaya / The Siberian Times)

A presença de diversas armas de qualidade, como as flechas variadas feitas com ossos, bronze e madeira, imediatamente sinalizaram que esta seria a tumba de um guerreiro honrosamente reconhecido.

Além disso, esta pessoa havia sido sepultada vestindo um casaco de pele e uma capa de couro com ornamentos coloridos, o que também indica cuidados com alguém respeitado na sociedade em questão.

Menino ou menina?

Estojo das flechas. (Fonte:  Vladimir Semyonov, M.O. Mashezerskaya / The Siberian Times)Estojo das flechas. (Fonte:  Vladimir Semyonov, M.O. Mashezerskaya / The Siberian Times)

A idade da pessoa no momento da morte foi corretamente identificada como sendo entre 12 e 13 anos. Não havia espelhos, adornos ou outros elementos geralmente encontrados junto de múmias femininas, portanto foi concluído que o sexo era masculino.

Porém, a ciência avançou e corrigiu este erro quanto ao gênero. Atualmente, é possível realizar o sequencimento completo do genoma de múmias, e saber com certeza o gênero e demais características biológicas através do DNA.

Amazonas

AmazonasAmazonas

Esta descoberta reforça a noção (amplamente aceita hoje em dia) de que o mito grego das Amazonas, mulheres guerreiras, não é mera invenção mitológica.

O grego Hipócrates escreveu especificamente sobre guerreiras Sármatas, que lutavam somente enquanto ainda eram virgens. Após casarem, abandonavam a guerra.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.