Terremoto no sul do México deixa ao menos 6 mortos

Um abalo sísmico tomou conta do estado de Oaxaca, no México, e foi sentido por cidades e distritos localizados em um raio de assustadores 643 quilômetros, indicando um dos eventos naturais mais devastadores e preocupantes da América do Norte na modernidade. Alcançando uma magnitude de 7,5 na escala Richter, o fenômeno ainda registrou 6 mortes contabilizadas e uma sequência de mais de 140 tremores secundários em diversos pontos do país.

Apesar de não ter resultado em catástrofes mais generalizadas, como no caso do terremoto de 2017, também no México, que vitimou mais de 355 cidadãos e teve índices de magnitudes suavemente menores, com 7,1, o fenômeno ligou o alerta local para o provável surgimento de tsunamis no litoral da América do Norte, América Central e de alguns países do sul, como Equador e Peru.

Em um vídeo publicado em suas redes sociais, o presidente Andrés Manuel López Obrador reforçou a importância dos cuidados e da atenção com os novos abalos, indicando que, em diversas localidades, a existência de abalos secundários poderá persistir.

"Se há alguma maneira de ajudar, vamos fazer isso, por favor. Isso é Oaxaca, no México, após o terremoto de 7,5 de hoje."

Segundo informado pelas autoridades locais, mais de 30 edifícios sofreram danos ou entraram em colapso, além de igrejas, rodoviárias e estradas que ligam a pontos essenciais para a Cidade do México. Além disso, um hospital para tratamento de pacientes contaminados pelo coronavírus também foi atingido, tendo que fechar imediatamente e suspender temporariamente as atividades.

O fato foi amplamente divulgado nas redes sociais, mostrando a situação de diversas localidades durante e depois do terremoto, com amontoados de pedras, estruturas destruídas e muita poeira espalhada pelo ar. 

A contagem dos mortos

Registrado às 10h59 desta última terça-feira, o terremoto trouxe bastante desespero à população mexicana, especialmente aos que vivenciaram a catástrofe de 2017. Até o momento, as autoridades já contabilizaram seis mortes, uma delas tendo ocorrido na Pemex, a maior refinaria do México, após um deslizamento local que culminou na queda de um dos funcionários. A companhia também confirmou que houve um incêndio na refinaria de Salina Cruz, mas foi rapidamente contido.

Além disso, casos de óbitos foram registrados em Huatulco e em San Agustin Amatengo, cidades de Oaxaca, e na vila montanhosa de San Juan Ozolotepec. Quanto ao restante das mortes, as circunstâncias não foram reveladas.

Atualmente, a preocupação do Serviço Nacional Sísmico do México é de que novos abalos possam vir a ocorrer, incluindo a possibilidade de um terremoto de maior magnitude do que o mais recente.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.