Conheça a larva 'fofinha' do peixe-lua gigante

A forma larval do famoso peixe-lua gigante foi finalmente descoberta por meio de uma combinação de esforços entre cientistas da Austrália e da Nova Zelândia. Embora seja considerado um dos maiores peixes do mundo, em seu estágio inicial de vida, o Mola alexandrini possui formato e tamanho bem pequenos, assemelhando-se, para alguns, a uma pipoca. Ou quem sabe um pokémon?

(Kerryn Parkinson/Reprodução)(Kerryn Parkinson/Reprodução)

Durante muito tempo, essa forma larval permaneceu desconhecida, sem que qualquer equipe científica já a tivesse investigado. Os pesquisadores, inclusive, ficaram surpresos com a obtenção dos resultados, já que os peixes-lua do gênero feminino detêm o recorde de maior fecundidade potencial de qualquer vertebrado. São cerca de 300 milhões de óvulos.

A espécie, conhecida popularmente como "cabeça de galo" — e analisada durante a pesquisa —, é uma das três pertencentes ao tipo Mola alexandrini que nadam pelas águas da Oceania. Esse gigante do mar pode atingir até três metros de comprimento e pesar mais de 2 mil quilos.

Analisando as larvas

(Wikispecies/Reprodução)(Wikispecies/Reprodução)

Marianne Nyegaard, doutora em veterinária da Universidade Murdoch e pesquisadora do Museu Memorial de Guerra de Auckland, decidiu se aprofundar nos estudos dos peixe-lua por meio de espécimes preservados em museus, já que encontrar larvas desses peixes no oceano aberto seria inviável — e talvez, essa dificuldade tenha sido um fator impeditivo para que elas não fossem conhecidas até então.

Para isso, a especialista se juntou a Kerryn Parkinson e Andrew King, pesquisadores do Museu Australiano, examinando coleções disponíveis por lá. Entretanto, as larvas de peixes-lua raramente se assemelham à sua forma adulta, o que também acabou deixando as coisas um pouco mais difíceis para que os cientistas pudessem dar seguimento ao estudo.

Mas, uma amostra coletada em 2017 na costa de Nova Gales do Sul, no leste australiano, forneceu dados relevantes para a pesquisa. Tratava-se de um espécime minúsculo e frágil, com apenas cinco milímetros de tamanho. Durante as análises de DNA, os dados genéticos foram comparados a outros dados de referência gerados por colaboradores internacionais. "Uma combinação clara da sequência foi identificada com amostras de um peixe-lua cabeça de galo adulto", disse Andrew King por meio de um comunicado oficial.

Agora, a equipe se concentra em prosseguir o estudo para conseguir identificar outras larvas, da mesma espécie de peixes, que estiverem disponíveis em coleções de museus.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.