Mitos e verdades sobre erupções vulcânicas

Vulcões são objeto de imaginação e atraem a atenção de muitos curiosos. E no meio de toda essa curiosidade, acabam surgindo mitos, que se multiplicam a uma velocidade que você nem consegue imaginar.

Se você, assim como nós, é um desse curiosos, confira a lista abaixo com 4 mitos sobre o fenômeno e tire as suas dúvidas.

1. A lava sempre escorre lentamente

Fonte: Pixabay/Reprodução
(Fonte: Pixabay/Reprodução)

Quilômetros abaixo de nós, o intenso calor e a pressão da Terra fazem com que alguns tipo de rocha derretam e formem o magma (como os cientistas chamam a lava antes da erupção). Esse material subterrâneo produz gases que, quando exercem uma pressão maior do que a crosta terrestre pode suportar, causam uma erupção. Mas a velocidade com que ela escorre ou se explodirá, depende da elevação de temperatura e da viscosidade do magma.  

2. Vulcões expelem fumaça

Fonte: Pixabay/Reprodução
(Fonte: Pixabay/Reprodução)

O que nós vemos durante uma erupção pode até parecer fumaça, mas não é. Tratam-se de minúsculos pedaços de lava e rocha que são quebrados. Mas esses pedacinhos podem pesar, e muito! Segundo pesquisadores, pequenos acúmulos do material podem derrubar um telhado, sobrecarregar a rede de energia e danificar carros e outras máquinas. 

3. A lava não deve ser a sua maior preocupação

Fonte: Pixabay/Reprodução
(Fonte: Pixabay/Reprodução)

Muitas pessoas acham que a lava é a maior preocupação durante as erupções vulcânicas. Mas na verdade ela normalmente se move de forma lenta o suficiente para que você consiga fugir.

Já os fluxos piroclásticos (composto de gás quente, cinza e pedras) são mais perigosos mas se equiparam ao lahar, uma espécie de lama que se forma quando a água se mistura com cinzas vulcânicas, gerando uma mistura pesada que se move mais rápido do que as pessoas conseguem correr. Ao todo, fluxos de vários tipos mataram quase 60.000 pessoas nos últimos cinco séculos. 

4. Todas as erupções são super explosivas 

Fonte: Pixabay/Reprodução
(Fonte: Pixabay/Reprodução)

Os filmes que assistimos nos trazem todas as erupções como plinianas (como são designadas as explosivas). Essa expressão foi criada em alusão a Plínio, jovem que descreveu corretamente a catástrofe do famoso Monte Vesúvio, na cidade italiana de Pompeia. 

Mas na realidade, o fenômeno também possui uma escala, como os terremotos. É o Índice de Explosividade Vulcânica (VEI) que começa com 0 e vai até 8, que seria uma super erupção. Até hoje, uma erupção de intensidade oito, felizmente, nunca foi registrada. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.