Resusci Anne: jovem afogada se tornou famoso manequim de RCP

A ressuscitação cardiopulmonar (RCP) é uma técnica de primeiros socorros que combina massagem cardíaca e respiração e é ensinada inicialmente em manequins. Algo que você talvez não saiba é que o primeiro modelo não foi criado aleatoriamente, mas sim com base no rosto de uma adolescente encontrada sem vida no fim do século XIX no rio Sena, em Paris (França).

Não havia sinais de violência em seu corpo, então muitos acreditam que ela cometeu suicídio. De qualquer modo, como a sua identidade nunca foi descoberta, a jovem passou a ser chamada de “a desconhecida do Sena”. 

Segundo o que se sabe, o patologista que realizou a autópsia ficou tão intrigado por conta da expressão serena que decidiu providenciar um molde de gesso de seu rosto. Depois disso, a máscara passou a ser replicada e vendida, e o seu mistério se tornou inspiração para vários escritores, poetas e artistas. 

(Fonte: BMJ/Reprodução)
(Fonte: BMJ/Reprodução)

Por outro lado, há quem não se convença de que a menina estava morta quando a máscara foi criada. “É surpreendente ver um rosto tão pacífico. Todos que encontramos na água estão inchados, não têm uma boa aparência”, explica Pascal Jacquin, chefe da Brigada Fluvial.

“A garota mais beijada do mundo”

Curiosamente, o que levou a famosa máscara a entrar para o mundo médico foi outro afogamento — ou quase, na verdade. Em 1955, um fabricante de brinquedos norueguês chamado Asmund Laerdal conseguiu salvar o filho de 2 anos tirando a água dos pulmões do menino.

Pouco tempo depois, ele foi procurado pelos médicos Archer Gordon e Bjorn Lind para produzir um boneco a ser usado em treinamentos de ressuscitação cardiopulmonar. Isso porque, praticando uns nos outros, os alunos corriam o risco de causar dor e fraturas nas costelas.

(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)
(Fonte: Wikimedia Commons/Reprodução)

Asmund não só aceitou o projeto, como também concluiu que seria melhor se o boneco tivesse uma aparência natural, então se lembrou de uma máscara que existia na casa de seus avós — ela mesma, a desconhecida do Sena. 

Resusci Anne foi feita de cloreto de polivinila, um material relativamente novo na época, e tinha dimensões adultas de tamanho real, incluindo tórax flexível e lábios abertos. Com o tempo e a popularização do uso de manequins para treinar a técnica, a jovem francesa ficou conhecida como “a garota mais beijada do mundo”.

A iniciativa e o desenvolvimento funcionaram tanto que a empresa de Laerdal mudou o foco para artigos médicos e, desde então, milhões de pessoas foram treinadas no mundo todo com o modelo, que foi se tornando cada vez mais diversificado.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.