Seja o primeiro a compartilhar

6 dos maiores erros de engenharia na história

Inevitavelmente, erros acontecem em todas as profissões, visto que errar é algo humano e a perfeição está longe de ser a nossa praia. Entretanto, alguns erros costumam pesar mais que outros. Se um médico falha em seu cargo, por exemplo, a vida de uma pessoa pode estar em risco.

O mesmo vale para os engenheiros. Por menor que seja, um pequeno descuido em uma obra pode levar a uma grande catástrofe — o que já foi mostrado pela história. Por isso, nós separamos essa lista com seis dos maiores erros já vistos pela Engenharia. Confira só!

1. Torre de Pisa

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Um dos erros de engenharia mais célebres de todos os tempos com toda certeza é a Torre de Pisa, construída na Itália em 1173. Como o projeto foi feito sobre uma base instável composta de lama, areia e argila, a torre começou a afundar e foi se tornando torna para um lado.

Ao longo dos anos, diversos engenheiros tentaram se empenhar em medidas que compensasse o erro feito no projeto inicial, mas nada apresentou eficácia. De acordo com geólogos, a torre corre sérios riscos de desabar nos próximos anos caso nenhuma medida drástica seja feita.

2. Usina de Chernobyl

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

O desastre na Central Nuclear de Chernobyl em 1986 foi resultado de um erro de engenharia que a humanidade jamais esquecerá. Conhecido por ser o pior desastre na usina nuclear da história, o incidente foi resultado do projeto de um reator defeituoso operado por pessoal inadequadamente treinado.

Na época, as hastes controladoras que deveriam controlar as reações em cadeia que acontecem com o Urânio-235 falharam, resultando em uma explosão química que matou cerca de quatro mil pessoas.

3. Ônibus Espacial Challenger

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

No mesmo ano do acidente de Chernobyl, a NASA se preparava para o lançamento do Ônibus Espacial Challenger, que deveria lançar a primeira civil ao espaço. Porém, a nave explodiu com apenas 73 segundos após seu lançamento, causando a morte dos sete tripulantes que estavam a bordo.

Posteriormente, foi descoberto que as juntas de borracha que vedavam o lado direito do foguete de combustível sólido falharam no ar. Isso quebrou o selamento do foguete, permitindo que o gás quente do motor da nave alcançasse a parte externa e invadisse o tanque de combustível, gerando a combustão.

4. Barragem de Banqiao

(Fonte: Internet/Reprodução)(Fonte: Internet/Reprodução)

Uma entre 62 barragens da província de Henan, na China, a Barragem de Banqiao foi construída no início dos anos 1950 como parte de um projeto para acabar com as inundações na região e produzir energia. Entretanto, o surgimento do Tufão Nina em 1975 gerou índices hídricos muito maiores do que o esperado e a barragem cedeu completamente, causando uma onda de 7 metros de altura com velocidade de 50 km/h.

Na época do início do projeto, o hidrólogo Chen Xing advertiu que a construção apresentava falhas de segurança que poderiam acarretar em um desastre no futuro.

5. Chuva de melaço em Boston

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

No dia 15 de janeiro de 1919, um acidente na cidade de Boston, nos Estados Unidos, ficou conhecido como o "Grande Dilúvio de Melaço". O acidente foi batizado após um tanque de melaço usado pela produtora de etanol Purity Distilling Company explodir a 15 metros de altura do chão.

A empresa, focada em criar lucro, esqueceu de contratar engenheiros qualificados para confeccionar o projeto do tanque, que foi montado inadequadamente e testado poucas vezes. De resultado, cerca de 150 pessoas ficaram feridas e outras 21 morreram esmagadas e afogadas pelos detritos que escorriam pelas ruas.

6. Plataforma Deepwater Horizon

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Em 2010, a plataforma de petróleo Deepwater Horizon explodiu no Golfo do México, nos Estados Unidos, e espalhou uma grande mancha de óleo pelo mar que se espalhou até a costa de diversos estados do país. Após ficar dois dias em chamas, a embarcação afundou em águas profundas.

De acordo com especialistas, o acidente foi resultado de uma falha mecânica durante a fase final de perfuração de um poço de petróleo no subsolo marinho. Estima-se que 680 milhões de litros de petróleo foram lançados ao mar. A explosão deixou 17 trabalhadores feridos e matou 11 pessoas. Além disso, o derramamento causou a morte de 8 mil animais.  

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.