09
Compartilhamentos

7 animais da América do Sul que possuem uma péssima reputação

Quando falamos em animais assustadores, a Austrália é o primeiro país que vem à mente. De lá saíram algumas espécies aterrorizantes, porém, a América do Sul também tem alguns bichinhos com reputações bem pouco positivas.

Abaixo, confira uma lista com sete animais sul-americanos que costumam trazer muito terror, mesmo que, na realidade, não sejam tão perigosos assim. Mas, é claro, todo cuidado é pouco! Confira:

1. Sucuri-verde, a anaconda

Estrela de Hollywood, a anaconda impressiona pelo tamanho: ela é a mais pesada e uma das maiores serpentes do planeta. Ela é encontrada na América do Sul, sendo que na Amazônia ficam os maiores exemplares, justamente pela abundância de presas. Entretanto, o ser humano não está no cardápio preferido da sucuri-verde.

O tamanho do humano é um dos principais motivos para as anacondas não serem tão interessadas em nossa carne. Ainda que ataques possam acontecer, eles são muito raros e pouquíssimos documentados. Em todo caso, evite se aproximar demais, principalmente se houver um ninho de anaconda por perto, o instinto de mãe pode ser bem perigoso.

Sucuri-verde (Fonte: Pixabay)Sucuri-verde. (Fonte: Pixabay)

2. Piranha

Este é outro animal que ganhou uma péssima reputação nos cinemas. De fato, as piranhas nadam em grandes grupos, mas elas são onívoras, com uma dieta principalmente de origem vegetal. Ainda assim, esses peixes podem comer carne e têm uma mordida poderosa.

Entretanto, as piranhas não costumam atacar humanos a não ser que se sintam ameaçadas ou, pior, sintam que seus ovos estão ameaçados. Mesmo as espécies que consomem mais carne podem ser inofensivas, já que elas preferem comer animais mortos. Quando atacam um ser vivo, preferem vermes, insetos e peixinhos. As piranhas são presas fáceis de jacarés, aves e botos!

Piranha (Fonte: Pixabay)Piranha. (Fonte: Pixabay)

3. Rã-ponta-de-flecha

Essas pequenas rãs chamam a atenção pela beleza, mas carregam uma fama para lá de ruim: elas são conhecidas por serem extremamente venenosas. Inclusive, a toxina pode levar um ser humano à morte caso entre em sua corrente sanguínea. Assustador? Bem, nem tanto: acontece que esses animais não têm como injetar o veneno na gente.

Caso o humano ingira o animal ou agite-o sobre uma ferida, aí sim é possível que o veneno possa trazer algum risco. Outra curiosidade é que, em cativeiro, essas rãs não carregam a toxina. Por isso, algumas pessoas inclusive as tratam como animais de estimação!

Rã-ponta-de-flecha (Fonte: Pixabay)Rã-ponta-de-flecha. (Fonte: Pixabay)

4. Puma

O segundo maior felino das Américas realmente assusta: o puma costuma viver perto de áreas habitadas por humanos, emite sons assustadores e estão presentes em diversas lendas. Porém, esses animais não têm o costume de atacar humanos, sendo essa uma incidência bastante rara.

Na verdade, são os pumas que correm mais perigo em um encontro com humanos. Devido à sua reputação, eles costumam ser abatidos antes de atacarem (algo que não vai necessariamente acontecer).

Puma (Fonte: Pixabay)Puma. (Fonte: Pixabay)

5. Centopeia-gigante-amazônica

A maior centopeia do mundo pode ser encontrada no Brasil e em outros lugares da América Latina, como Aruba, Colômbia, Venezuela e Curaçao. Elas podem chegar a 30 cm de comprimento e injetam um veneno bastante potente através de suas patinhas. Para piorar, elas podem viver até 10 anos e são carnívoras.

Entretanto, o ser humano não precisa se preocupar tanto. Até hoje, apenas um caso fatal foi relatado: uma criança que foi atacada por uma centopeia escondida em uma lata de refrigerante. Normalmente, a espécie ataca animais menores, como aranhas, escorpiões, sapos, lagartos, cobras, pássaros, ratos e morcegos.

Centopeia-gigante-amazônica (Fonte: WikipediaCentopeia-gigante-amazônica. (Fonte: Wikipedia)

6. Formiga-cabo-verde

Já pensou em levar uma picada que mais parece um tiro? Na tabela Schmidt, que avalia a intensidade da dor de uma picada, a da formiga-cabo-verde fica em primeiro lugar. A dor é descrita como “estar andando sobre carvão em chamas com um prego enferrujado de 8 centímetros fincado no seu calcanhar”.

A toxina injetada pela picada contribui para a intensidade da dor, porém, ela não é fatal. Por conta disso, algumas tribos brasileiras têm até um ritual de passagem envolvendo a espécie: os homens vestem luvas cheias de formigas-cabo-verde e precisam aguentar os ataques por 1 minuto.

Formiga-cabo-verde (Fonte: Wikipedia)Formiga-cabo-verde. (Fonte: Wikipedia)

7. Tarântula-golias

O maior aracnídeo do mundo realmente assusta, podendo chegar a 30 cm (há relatos não confirmados de até 40 cm). Ela é endêmica da Floresta Amazônica brasileira, mas pode ser encontrada nas Guianas, na Colômbia e no Suriname. Uma de suas principais defesas são os pelos de seu abdômen, que ela pode lançar em alta velocidade e causa muita irritação, inclusive bloqueando as vias respiratórias.

Curiosamente, não há nenhum registro de morte humana causada por essa caranguejeira (aliás, não há registro fatal envolvendo nenhuma tarântula). Porém, é importante saber que ela não é tão dócil e nem fica tanto na defensiva. Se cruzar o seu caminho, o melhor é evitá-la. Outra curiosidade: apesar de também ser chamada aranha-golias-comedora-de-pássaros, elas raramente se alimentam de aves, preferindo insetos, anfíbios e pequenos roedores.

Tarântula-golias (Fonte: Reddit)Tarântula-golias. (Fonte: Reddit)

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.