27
Compartilhamentos

Marsili, o misterioso vulcão ativo escondido na Europa

Apesar de muitas pessoas acreditarem que o maior vulcão ativo da Europa seja o Etna, na Sicília, ou o Vesúvio, responsável por destruir Pompeia, eles estão longe de ser a única ameaça para a população local. Isso porque o Marsili, localizado a 175 km ao sul de Nápoles, é considerado o maior vulcão ativo do continente europeu e tem uma história muito mais enigmática.

Com 3 mil metros de altura, 70 quilômetros de comprimento e 30 quilômetros de largura, suas dimensões são verdadeiramente colossais. Entretanto, há um detalhe que o difere dos demais: o Marsili simplesmente não pode ser visto pelas pessoas, uma vez que seu cume fica a 500 metros debaixo da água.

Existência subaquática

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Apesar de ter sido descoberto há mais de 1 século no mar Tirreno, os perigos que o Marsili pode representar para a humanidade só passaram a ser pesquisados na última década. Segundo estudos recentes, a atividade do vulcão poderia desencadear ondas enormes de 30 metros de altura. 

Para piorar a situação, essa gigante tsunami atingiria a costa da Calábria e da Sicília silenciosamente. Por não existirem muitas tecnologias que monitorem as atividades no Mediterrâneo, nenhuma autoridade seria capaz de emitir um alerta para a população de que o desastre seria iminente.

Como o Marsili está localizado na divisa das placas tectônicas da Eurásia e da África, a intensa atividade geológica o torna ainda mais instável. Atualmente, sua atividade se limita a ruídos suaves, com emissões gasosas e tremores de baixa energia, o que não necessariamente impede com que ele volte com mais força no futuro.

Ameaça vulcânica

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)

Embora o Marsili seja o maior vulcão ativo na Europa, e de fato represente uma ameaça, é preciso destacar que existem pelo menos outros 70 vulcões submarinos no mar Tirreno — alguns com histórias amplamente desconhecidas. Em particular, o sul da Itália é a região do planeta que mais pode sofrer dessas ameaças.

O exemplo que desperta mais preocupação é o vulcão Palinuro, localizado a 65 quilômetros da costa de Cilento. Estudos apontam que o complexo vulcânico tem 150 metros de material solto que podem ser deslocados por meio da atividade sísmica, podendo provocar grandes tsunamis.

No momento, não há um bom sistema que alerte os italianos sobre eventuais tsunamis. Se os pesquisadores passarem a considerar que o Marsili e seus irmãos fornecem um risco imediato, é provável que o governo italiano precise reconsiderar a necessidade de implementar novas tecnologias na sua região costeira. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.