Seja o primeiro a compartilhar

6 fatos incríveis sobre o besouro rola-bosta

Animal coprófago, isto é, que se alimenta das fezes de animais, o besouro rola-bosta chama atenção por sua importância no ciclo da matéria orgânica. Eles são fundamentais no processo de adubar áreas de plantio, auxiliando na decomposição da matéria e combatendo a proliferação de pragas comuns às áreas de pastagem.

Com mais de 6 mil diferentes espécies no mundo, vem sofrendo nos últimos anos com o uso indiscriminado de ivermectina, vermífugo dado ao gado e responsável por matá-los. Para ajudá-lo a conhecer mais sobre esse importante integrante do controle biológico dos bovinos e de fortalecimento da saúde do solo, separamos algumas curiosidades fascinantes a seu respeito. Confira.

1. São fundamentais à economia agropecuária

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Quando se estudam esses besouros, nota-se rapidamente a sua importância para a economia agropecuária brasileira. São fundamentais no controle de pragas e parasitas, em especial os que afetam o gado. Não suficiente, seu trabalho ajuda a adubar o solo, o que aumenta a riqueza do terreno, fundamental a manter a fertilidade dele.

Ao enterrarem as bolinhas de fezes, eles também aumentam a aeração da terra, o que age diretamente na facilitação de sua irrigação. E todo esse trabalho a troco de um pouquinho de fezes, é quase de graça.

2. Besouros rola-bosta são muito fortes

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Referência é tudo, por essa razão é importante ter em mente o tamanho de um besouro rola-bosta. Isso porque eles são capazes de rolar uma bola de fezes que contenha até 50 vezes o peso de seu próprio corpo.

Existe uma espécie dentro das 6.000 encontradas no mundo que vai além: sua força descomunal dá conta de fazer rolar uma bola de esterco que contenha até 1.141 vezes seu próprio peso. Haja força bruta.

3. Possuem um olfato impressionante

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

O olfato do besouro rola-bosta é impressionante. Como preferem "trabalhar" com esterco fresco, se aproveitam do olfato sensível para encontrar e formas suas pequenas bolinhas.

De acordo com o Wilderness Safaris, besouros são capazes de se locomover até uma pilha de esterco de elefante fresco em cerca de 15 minutos. Para isso, usam o vento como ferramenta para captar o cheiro das fezes.

4. Usam o esterco para descansar

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Quando o sol está muito forte ou eles estão cansados de rolar muitas bolas de fezes, os insetos utilizam o esterco para se refrescar. Eles simplesmente pegam uma das esferas e sobem em cima dela, para se aproveitar da umidade presente nelas e esfriar as patas.

A relação foi descoberta a partir de um estudo, no qual cientistas "calçaram" alguns besouros com um material feito de silicone. Identificou-se que esses que estavam com o "sapato" faziam menos pausas, já que seus pés estavam menos desgastados pelo calor.

5. Processo reprodutivo envolve as fezes

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

O processo reprodutivo desses insetos tem relação direta com as fezes com as quais se envolve para alimentação.

Após criarem a bola fecal, os besouros cavam buracos onde as enterram, o mesmo túnel em que seus ovos serão depositados. O desenvolvimento dos estágios iniciais até a fase adulta se dará nesse meio.

6. Se alimentam de fezes de animais específicos

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

A dieta, apesar de pitoresca, ainda envolve outro fator: um besouro rola-bosta não come as fezes de qualquer animal. Em geral, cada espécie se alimenta do esterco de um animal específico.

Com o olfato sensível que possuem, são capazes de distinguir dois montes de fezes de animais diferentes, indo atrás somente do que lhes apetece. Por isso, mudanças bruscas no tipo de animais que residem uma região podem impactar a qualidade do solo pelo fim do "trabalho" dos besouros. Haja exigência.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.