Seja o primeiro a compartilhar

Mergulhadores recuperam tesouro de 30 mil moedas de bronze na Itália

Um grupo de mergulhadores recentemente realizou uma descoberta impressionante na costa italiana da Sardenha: dezenas de milhares de moedas de bronze do século IV. Inicialmente, as autoridades locais receberam uma denúncia de um mergulhador que avistou algo brilhante perto da costa nordeste da ilha mediterrânea. 

Então, uma equipe de pesquisa foi enviada ao local para examinar o objeto mais de perto, que ficava próximo à cidade de Arzachena. Abaixo das ondas, eles encontraram moedas antigas, conhecidas como fólis, surgindo do fundo do mar. Um vídeo compartilhado pelo Ministério da Cultura da Itália mostra o momento exato em que os pesquisadores usaram um detector de metal para localizar os artefatos. 

Quantidade enorme de moedas

De acordo com as autoridades italianas, ainda não existe um número exato para a quantidade de moedas recuperadas. No entanto, especialistas estimam que o número esteja entre 30 mil e 50 mil unidades — com base no peso dos objetos. Todas as moedas estão em estado de conservação "excepcional e raro", sobretudo pelo tempo que passaram debaixo d'água.

Segundo o Ministério da Cultura italiano, apenas quatro delas estão danificadas e mesmo assim apresentam inscrições "ainda legíveis". No mesmo local, os pesquisadores também encontraram muitas ânforas, uma espécie de jarro com pescoço fino e duas alças. Eles acreditam que alguns desses vasos foram feitos na África e outros feitos na Ásia. 

O tesouro enterrado no fundo do mar estava escondido em uma grande área arenosa entre a praia e as ervas marinhas subaquáticas. Devido à forma e ao posicionamento que estavam, os pesquisadores dizem que um naufrágio pode estar escondido nas proximidades.

Amostras do passado

(Fonte: GettyImages)(Fonte: GettyImages)


Com base nas marcações encontradas nas moedas, a equipe de estudo acredita que elas datam de entre os anos 324 e 340, tento em vista que muitas delas retratam o rosto de Constantino I — o imperador romano de 306 a 337. As moedas recuperadas vêm de casas da moeda localizadas por todo o Império Romano.

Visando os próximos passos, a equipe de pesquisadores planeja restaurar e estudar os artefatos na esperança de aprender um pouco mais sobre suas origens. Em comunicado oficial, o líder da divisão de arqueologia do governo regional da Sardenha, Luigi La Rocca, afirmou que essas moedas já são “uma das descobertas numismáticas mais importantes dos últimos anos”.

Segundo La Rocca, as moedas realçam ainda mais a riqueza e a importância do patrimônio arqueológico que as profundezas dos mares, atravessadas por homens e mercadorias desde os tempos mais remotos, ainda guardam e conservam.

Vale ressaltar também que essa não é a primeira vez que os fólis foram encontrados por aí. Em 2013, um entusiasta de detectores de metais no Reino Unido descobriu 22.888 fólis escondidos perto de Seaton Down, a algumas centenas de metros de distância de onde ficava um forte militar romano por volta dos séculos II e III. Contudo, a recente descoberta feita em Arzachena já foi confirmada como sendo o maior achado de moedas antigas romanas desde então. 

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.