Seja o primeiro a compartilhar

Será que cães e gatos também podem ter alergia a humanos?

Os vários tipos de alergia são condições relativamente comuns para os seres humanos, e a interação com animais, como cães e gatos, podem desencadear sintomas incômodos que incluem espirros, coceira e congestão nasal. 

Porém, uma questão intrigante que já pode ter passado pela cabeça de muitos donos de pets é: será que nossos amigos peludos também podem ser alérgicos a nós? De acordo com a Dra. Heather Edginton, professora assistente de dermatologia na Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Cornell, a resposta é, de forma surpreendente, sim. 

Tipos de alergias em animais de estimação

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Nossos companheiros de quatro patas, assim como os humanos, podem sofrer de diferentes tipos de alergias. As três principais categorias que desencadeiam essa reação em cães e gatos normalmente incluem: pulgas, alimentos e ambientes.

Uma reação alérgica a humanos se enquadraria na categoria de ambientes e, felizmente, o quadro geralmente é bem leve, raramente sendo perigoso ou apresentando risco à vida. As versões mais graves, como choque anafilático, costumam a ser induzidas por alimentos ou picadas de abelha.

Como saber se um bichinho é alérgico a humanos?

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Os sintomas de uma reação de hipersensibilidade a humanos em cães e gatos são semelhantes aos de alguém alérgico a animais de estimação. O peludinho provavelmente apresentará crises de coceira, mesmo com a pele mantendo uma aparência saudável. Esta condição é conhecida como dermatite atópica ou eczema.

Em felinos e caninos, o eczema pode ser desencadeado por caspa humana, que inclui células mortas da pele e cabelos. Os pets que são alérgicos a isso e compartilham espaços internos com pessoas encontrarão esses alérgenos em todos os lugares, incluindo tapetes, camas e sofás.

De forma surpreendente, essa situação é mais comum do que imaginado. “Quando fazemos testes de alergia, descobrimos que eles geralmente são alérgicos a 12 ou mais coisas ao mesmo tempo, e os humanos costumam ser apenas uma delas”, explicou Edginton. Os outros fatores ambientais incluem poeira, pólen e esporos de mofo.

Tratamentos disponíveis

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Existem várias formas de tratamento para bichinhos alérgicos a humanos, que devem ser escolhidos por um veterinário de confiança do tutor. Uma delas é a administração de anti-histamínicos preventivos, geralmente em forma de pílula, e exigindo doses diárias para evitar sintomas. Porém, vale ressaltar que são eficazes apenas 30% das vezes.

Além disso, o uso de esteroides orais, como a prednisona, pode ser um método mais eficaz para lidar com surtos alérgicos agudos. Uma terceira opção é a imunoterapia específica para alérgenos, ou injeções de alergia, que envolvem a utilização de quantidades controladas de alérgenos para diminuir a reação de hipersensibilidade através da exposição. Esta técnica é eficaz em cães 60% das vezes e em até 78% das vezes em gatos. 

Outro ponto importante é que assim como em pessoas, as alergias de animais podem ser tratadas, mas não curadas. "A terapia é para sempre. Uma vez que você para, as alergias voltarão", afirmou a Dra. Edginton.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.