ESA possui um sistema de som tão potente que é capaz de matar uma pessoa
451
Compartilhamentos

ESA possui um sistema de som tão potente que é capaz de matar uma pessoa

Último Vídeo

Mandar um foguete para o espaço é uma tarefa mais complicada do que parece. Para isso, os engenheiros e pesquisadores precisam realizar uma série de testes para garantir o sucesso da missão. E você sabia que o som emitido durante a decolagem pode ser suficiente para causar danos na nave?

Para evitar esse infortúnio, a equipe da Agência Espacial Europeia (ESA, do inglês European Space Agency) mantém o equipamento de som mais potente da Europa em uma de suas instalações, localizada na Holanda. O sistema foi construído em 1989 e ganhou o nome de Large European Acoustic Facility (LEAF).

Fonte da imagem: Reprodução/ESA

Lá dentro, os engenheiros recriam o incrível som da decolagem dos satélites para testar a resistência das peças e equipamentos. E eles garantem: “Nenhum humano conseguiria sobreviver ao som”, que é um dos mais potentes já criados pelo homem.

Para termos uma ideia da potência do equipamento, o som gerado no lançamento de um foguete é apenas 40 decibéis inferior ao som criado pela explosão de uma bomba de TNT de uma tonelada — podendo deixar uma pessoa permanentemente surda em poucos segundos.

Fonte da imagem: Reprodução/ESA

Logicamente, a produção do som dentro do LEAF é totalmente controlada. A câmara de testes tem 16,4 metros de altura, 11 metros de largura e 9 metros de profundidade. Suas paredes são reforçadas para evitar vazamentos e garantir a produção de sons uniformes. As buzinas que formam o sistema estão instaladas em uma das paredes e, quando injetadas com nitrogênio, são capazes de produzir sons de mais de 154 decibéis.

Durante os testes, os engenheiros medem as vibrações a partir de acelerômetros e avaliam os impactos que elas causam no equipamento que está sendo testado. O sistema de som só funciona quando as portas do laboratório estão fechadas, para garantir o isolamento e a segurança de quem estiver nos arredores.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.