Rapunzel japonesa não corta o cabelo há 15 anos

Uma japonesa de 35 anos tem chamado a atenção das pessoas nas mídias sociais pelo tamanho do seu cabelo. Com uma cabeleira de quase 2 metros, que ela não corta há 15 anos, seu nome já viralizou como Rapunzel do Japão.

Rin Kambe mora em Tóquio, e contou ao site Oddity Central que, quando criança, seus pais não permitiam que ela cortasse o cabelo, o que fez somente quando entrou para o time de futebol feminino de sua escola. Aos 20 anos, ela começou a dançar e decidiu usar o seu cabelo como uma “arma de expressão”

Esse último corte de cabelo aconteceu há 15 anos, e atualmente seus cabelos, que são pretos e lisos, medem 1,55m, um pouco mais que a altura da própria Rin. Embora o cabelo atrapalhe algumas rotinas diárias, como mudar de roupa, a dançarina e modelo afirma amar a sua longa cabeleira, que, segundo ela, reflete a “beleza da Ásia”.

As reações das pessoas sobre o cabelo

Fonte: Rin Kambe/Instagram/Reprodução
Fonte: Rin Kambe/Instagram/Reprodução

Rin Kambe diz que as pessoas estão sempre fazendo questionamentos sobre o seu cabelo, querendo saber se são naturais ou por que ela o mantém tão comprido. Como acontece com todas as pessoas que publicam nas redes sociais, ela às vezes recebe comentários maldosos e até ofensivos. Mas afirma que aprendeu a aceitar que todos têm direito a expressar suas opiniões.

“Existem homens no mundo que apreciam isso e também existem pessoas que pensam que é uma monstruosidade”, conta Kambe, reconhecendo que, se não acreditasse em si mesma, certamente ficaria abalada com tantas críticas. E explica como faz para superar: “eu transformo isso em uma força que brilha à minha maneira”.

Independentemente das inevitáveis críticas, Rin Kambe considera seu cabelo “uma coisa linda”, e diz que não irá cortá-lo tão cedo. Além de continuá-lo usando como “arma de expressão”, ela conseguiu incorporá-lo em suas coreografias, e certamente tem sido um chamariz nos seus vídeos na internet.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.