Seja o primeiro a compartilhar

Breck Bednar: adolescente foi morto por colega de jogos online

Em 2014, a morte prematura do adolescente britânico Breck Bednar chocou o mundo. Degolado e violado por quem até então era considerado seu amigo de jogos online, o jovem do condado de Surrey foi um alvo fácil de Lewis Daynes, responsável por atrair sua vítima para um jogo sádico que logo culminaria em uma tragédia sem precedentes.

Breck conheceu Daynes no mesmo ano de sua morte, enquanto jogava online com amigos. O assassino logo conseguiu adquirir a confiança de todos, conversando de forma descontraída, revelando sua aparência para que não houvesse desconfiança e impressionando os mais jovens com uma mentira ao afirmar que era um rico programador de uma empresa norte-americana.

(Fonte: Essex Police / Reprodução)(Fonte: Essex Police / Reprodução)

Encantado com as condições de seu futuro algoz, Breck acabou se tornando o integrante do círculo social que estabeleceu vínculos mais fortes com Lewis, e isso trouxe impactos diretos em sua rotina e comportamento, algo que foi bastante sentido pela mãe do adolescente. "Eu tentei o meu melhor para pará-lo, mas Breck o via como uma espécie de guru da tecnologia", disse Lorin LaFave. "Sua personalidade estava mudando e sua ideologia estava mudando. Ele estava começando a se recusar a ir à igreja conosco. Eu senti que era por causa da influência negativa dessa pessoa."

(Fonte: Get Surrey / Reprodução)(Fonte: Get Surrey / Reprodução)

Lorin tentava limitar o acesso de seu filho à internet, mas nada mudava suas convicções, pois já estava em um grau de obsessão incontornável pela falsa amizade. 

O último jogo de Bednar

Na última conversa como colegas, Daynes atraiu Breck a um apartamento em que supostamente estava hospedado, afirmando que foi diagnosticado com uma doença terminal e que iria transferir a posse de seu negócio para o amigo. Empolgado, o adolescente britânico foi de encontro a seu futuro carrasco, e após esse momento nunca mais seria visto com vida.

(Fonte: Get Surrey / Reprodução)(Fonte: Get Surrey / Reprodução)

Daynes entrou em contato com a polícia de uma forma assustadora, através de um chamado de emergência em que dizia que era o "único vivo" de uma briga em seu apartamento. As autoridades chegaram no local e não demoraram a desmascarar o criminoso, pois todas as pistas encontradas — fitas adesivas, preservativos, computadores quebrados — apontavam para um crime de cunho sexual. Breck estava no chão, com braços e pernas amarrados e o pescoço mutilado. 

Durante sua audiência, Lewis confirmou a versão divulgada pela polícia sem mostrar nenhum tipo de remorso. O julgamento, que levou em consideração um histórico anterior de crimes infantis, o sentenciou a 25 anos de prisão.

Um caso sem fim

Por anos, Lorin LaFave e sua família foram atormentadas pela perda de Breck e pela imagem de seu carrasco. Segundo depoimentos, anônimos relacionados ao assassino perturbavam constantemente uma de suas filhas, com ameaças de morte e mensagens repletas de violência

Amparada pelo estado, Lorin optou por desenvolver uma associação de prevenção contra cybercrimes, e continua até hoje a fazer campanhas de alerta reforçando os cuidados com as relações online e mencionando o apoio da fiscalização e regulamentação, de forma a mostrar à comunidade que a morte de seu filho não foi em vão.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.