10
Compartilhamentos

Herbert Mullin: o serial killer motivado por um terremoto

Nascido em 18 de abril de 1947, em Salinas, na Califórnia, Herbert Mullin começou sua vida normalmente. Ele era popular na escola e todos gostavam dele. Em casa, o pai era um veterano que serviu na Segunda Guerra Mundial e o forçava para que fizesse o mesmo quando a hora chegasse.

No entanto, em seu último ano no ensino médio, aos 19 anos, Mullin começou a perder o controle de si mesmo, principalmente depois que um de seus amigos morreu em um acidente de carro.

Acredita-se que foi a partir desse momento que ele passou a consumir maconha e LSD, o que só colaborou para que Mullin fosse afetado de maneira irreversível, até que fosse internado em um hospital psiquiátrico aos 21 anos, em meados de 1969. Então ele embarcou em uma jornada de escapar da clínica e voltar. Nesse ínterim, Mullin tentou entrar para o sacerdócio e voltou a ser internado com um quadro de automutilação.

A profecia do terremoto

(Fonte: The Pajaronian/Reprodução)(Fonte: The Pajaronian/Reprodução)

Aos 23 anos, seu prognóstico foi considerado um dos piores, ainda mais pelo fato de que ele não queria se medicar e ir à terapia. Mullin então começou a ouvir vozes, e três médicos diferentes o diagnosticaram com um quadro de esquizofrenia.

De repente, em 1972, depois que um matemático previu que, em 4 de janeiro de 1973, a Falha de San Andreas poderia causar outro terremoto devastador no norte da Califórnia, as vozes na cabeça de Mullin falaram que tudo estava conectado. O aniversário dele, em 18 de abril, coincidia com o terremoto de 1906 que destruiu a cidade. Por alguma razão, isso o fez concluir de que a catástrofe só seria evitada através de sacrifício humano.

Como Mullin explicou mais tarde: “Nós, seres humanos, através da história do mundo, protegemos nossos continentes de terremotos cataclísmicos sacrificando. Em outras palavras, um desastre natural menor evita um grande desastre natural. ”

(Fonte: KRON4/Reprodução)(Fonte: KRON4/Reprodução)

O jovem acreditava que os norte-americanos que morreram durante a Guerra do Vietnã foram uma espécie de sacrifício para a natureza para que ela não lançasse sobre o país sua "vingança cataclísmica". Então Mullin, autointitulado como "o escolhido", precisava matar pessoas para ter sangue o suficiente para evitar o terremoto.

Portanto, entre 13 de outubro de 1972 e 13 de fevereiro de 1973, Herbert Mullin cometeu 13 homicídios, deixando um legado de pânico na região censitária de Felton.

Ele foi condenado à prisão perpétua, e atualmente cumpre pena na Prisão Estadual de Mule Creek, em Ione, na Califórnia.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.