Seja o primeiro a compartilhar

Hidromel: 5 fatos sobre a bebida alcoólica mais velha do mundo

Feita a partir da fermentação de mel e água, o hidromel é considerado a bebida alcoólica mais antiga de todos os tempos — tão velha quanto a civilização humana. Também chamada muitas vezes de vinho de mel, essa bebida foi altamente consumida pelas populações vikings e também por foliões nos tempos medievais.

O hidromel também foi responsável pela criação de outras bebidas do gênero, como foi o caso do braggot, cuja receita inclui mel, malte e é vista como um cruzamento entre o hidromel e a cerveja. Mas você pensa que isso é tudo? Veja só cinco fatos fascinantes que contam mais sobre a história do hidromel!

1. Primeiros registros históricos

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Como citado anteriormente, o hidromel é uma bebida apreciada pelos humanos há muito tempo — e isso não é um exagero. Acredita-se que as primeiras versões do líquido surgiram por conta de algum acidente maluco, onde a água da chuva teria pingando em um pote de mel e sofrido os efeitos da fermentação.

Os primeiros registros históricos mostram que a primeira receita de uma bebida fermentada feita de mel surgiu na Índia há 4 mil anos. Entretanto, há também evidências de que bebidas alcoólicas envolvendo mel, frutas e arroz já existiam na China no século VII a.C.

2. Envolvimento na cultura viking

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Durante suas festas sazonais e cerimônias que comemoravam os marcos da vida, os vikings tinham a tradição de se esbaldar em hidromel. Porém, o processo envolvia muito mais do que apenas apreciar a bebida — era um ritual. O rei seria servido na frente de todas as outras pessoas, depois a ordem seguiria a posição social de cada um dos presentes.

Os nórdicos costumavam usar uma espécie de chifre como copo, o que não facilitava nem um pouco o consumo de hidromel e obrigava o indivíduo a consumi-lo rapidamente. Por esse motivo, muitos ficavam extremamente bêbados nas festas.

3. Fabricação por monges

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Em mosteiros espalhados pela Inglaterra e pelo País de Gales, o hidromel tornou-se um produto da apicultura — além das velas que eram produzidas com a cera de abelha. Por isso, muita coisa mudou quando esses mosteiros foram dissolvidos entre 1536 e 1540 pelo monarca Henrique VIII.

Em Lindisfarne, entretanto, a tradição da fabricação de hidromel desenvolvida pelos monges que fundaram um mosteiro na ilha em 643 d.C. continuou. Até hoje, qualquer visitante que for até lá poderá experimentar uma amostra de hidromel feita com água e mel local.

4. Uso medicinal

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Para os antigos gregos, o hidromel era chamado de "néctar dos deuses". A visão era de que o hidromel não era apenas delicioso, mas também uma bebida que fazia bem para você. E muito disso tem a ver com o fato do mel possuir várias propriedades antioxidantes e antibacterianas.

Em 2015, pesquisadores da Universidade de Lund, na Suécia, desenvolveram uma versão experimental de hidromel que aproveitava a qualidade antibiótica do principal ingrediente da receita para ajudar a combater infecções resistentes a medicamentos.

5. Lua de mel

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Embora a lua de mel entre casados seja um costume com raízes bem antigas, tudo possui uma explicação. Como o mel sempre foi visto como uma substância afrodisíaca e que aumentava a fertilidade, era comum que recém-casados recebessem um suprimento da bebida para um mês inteiro.

Essa tradição surgiu na Europa durante o século V d.C. e com o passar dos anos foi ressignificada para um simples momento de fuga do casal após o matrimônio durante o século XIX

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.