Tomás Saraceno é um arquiteto “artístico” internacionalmente conhecido pela sua surpreendente maneira de ver e encarar o mundo das projeções arquitetônicas. O artista desenvolve instalações que poderíamos classificar como sendo “um tanto performáticas”, por assim dizer, cuja intenção é modificar a arquitetura convencional dos espaços de maneira a alterar a percepção de todos que a experimentem.

O último trabalho de Saraceno é uma instalação chamada “On Space Time Foam” e foi inspirada na arquitetura utópica do século 20, cujo maior desejo era criar estruturas aéreas. Tais construções deveriam ser habitáveis pelos seres humanos e, principalmente, deveriam causar uma quantidade mínima de impacto ambiental ao meio em que fossem construídas.

O resultado da empreitada do artista pode ser conferido no vídeo acima, no qual as pessoas são convidadas a passearem por um relevo imaginário montanhoso, cuja superfície é um plástico transparente. Aparentemente, a estrutura — que é composta de três níveis diferentes de estrutura — é muito resistente e não deve rasgar. Pelo menos, podemos ver que todos os participantes parecem estar se divertindo imensamente.

Arte conceitual

(Fonte da imagem: Divulgação/Neatorama)

O artista argentino descreve seu trabalho como sendo inspirado na configuração cúbica do espaço em que foi montado. A intenção por trás da composição translúcida e despida de cores sólidas é caminhar rumo à eliminação das barreiras sociais, comportamentais e principalmente de questões de separação física.

Quem acha que Tomás Saraceno é apenas um artista comum ficará surpreso ao saber como a obra foi idealizada. Foram meses e mais meses de planejamento e de testes experimentais junto a uma equipe multidisciplinar do Instituo de Tecnologia de Massachusetts (o conceituado MIT).

Agora você acha até uma ideia válida entrar no stand da instalação de Saraceno e conferir o trabalho do artista, não é?