5 técnicas de primeiros socorros que todo mundo deveria conhecer
372
Compartilhamentos

5 técnicas de primeiros socorros que todo mundo deveria conhecer

Último Vídeo

Vamos lá: é provável que você não precise bancar o socorrista muitas vezes na sua vida, mas é bem possível, também, que um dia você dê de cara com uma pessoa tendo um ataque cardíaco ou se afogando com um pedaço de bife no restaurante. Nesses casos é sempre válido saber o que fazer e como fazer, e foi por isso que nós separamos as dicas a seguir. Confira!

Massagem cardíaca

O procedimento é necessário quando alguém a seu lado tem uma parada cardíaca. Nesses casos, a pessoa passa muito mal, fica agitada, com dores no peito, acaba entrando em colapso e cai. O ideal a fazer nessas ocasiões é pedir para que alguém chame uma ambulância, explicar o que ocorreu de fato com a vítima e, até que o atendimento chegue, você deve tentar reanimar a pessoa.

Para isso, você vai precisar seguir as instruções do vídeo abaixo (a partir do minuto 1:05). As mãos devem ser posicionadas na região do peito entre os mamilos da vítima. Seus braços devem estar esticados e você precisará fazer pressão repetidamente até que o socorro chegue. O vídeo está sem legenda, mas você pode adicioná-las e traduzir automaticamente nas configurações de vídeo, no canto esquerdo inferior da tela do YouTube.

Esse tipo de procedimento é capaz de fazer pressão em uma região de até cinco centímetros de profundidade por 100 vezes a cada minuto. A dica dos médicos para não sair do ritmo enquanto se faz a massagem – é um procedimento bastante cansativo – é cantar mentalmente a música “Stayin’ alive”, dos Bee Gees.

O que fazer em caso de ataque cardíaco

Fonte da imagem: Reprodução/LifeHacker

Antes de qualquer coisa, é preciso sempre reconhecer se o problema é este mesmo, então vamos aos sintomas: um dos sinais do ataque cardíaco é a parada cardíaca, descrita no item anterior – é preciso realizar a massagem cardíaca até que um paramédico chegue até você e a vítima.

Em outros casos, porém, os sintomas são mais leves e a vítima pode apenas reclamar de uma azia persistente. Se a pessoa tiver mais de 16 anos e não for alérgica a aspirina, ela deve tomar um desses comprimidos, pois eles podem reduzir os danos causados ao coração.

Como lidar com pessoas engasgadas

Se você já se afogou alguma vez na vida, felizmente talvez o ato de tossir tenha resolvido o problema sem maiores consequências, mas nem sempre é assim. O bloqueamento de vias aéreas pode ter consequências graves que incluem a morte.

A pessoa sufocada vai começar a tossir, e você precisa pedir para que ela continue tossindo, pois esse é um ótimo sinal de que o problema não vai ser sério. Por outro lado, se o alimento ou objeto bloquear totalmente a passagem de ar e ficar entalado na garganta, é preciso fazer uma manobra conhecida como Heimlich.

Essa técnica consiste em envolver a pessoa, como se você fosse abraçá-la por trás, segurá-la pela cintura e pressionar o umbigo da vítima repetidas vezes, com força, como você pode ver no vídeo abaixo (minuto 0:44):

Depois que esse processo é feito, a pessoa pode cuspir o objeto que estava bloqueando sua garganta ou, na pior das hipóteses, ficar inconsciente. Nesse segundo caso, é preciso chamar ajuda médica com urgência.

Sangramentos

Fonte da imagem: Reprodução/Firstaidforparents

Independente do que tenha causado o sangramento, é importante que você tente interrompê-lo, e, para isso, vai precisar estar com as mãos limpas, usando luvas – se não tiver um par de luvas ao seu alcance, vale também uma sacola limpa.

A pessoa com sangramento deverá ficar deitada e, se possível, a área afetada deverá ser elevada. Em seguida, remova a sujeira mais “grossa” da ferida, mas não mexa na parte mais interna do ferimento.

Depois de limpar o ferimento, mesmo que apenas superficialmente, com a ajuda de um pano limpo ou um pedaço de gaze, faça pressão contra o local por no mínimo 20 minutos. A ideia é colocar força mesmo, e não vale parar de fazer a pressão para checar se o sangue parou de vazar.

Se mesmo assim o sangramento não parar, você vai ter que fazer pressão em pontos estratégicos: no braço, na parte interna, aperte um ponto logo em cima do cotovelo e outro abaixo da axila; na perna, pressione a parte de trás do joelho e também a virilha. Mantenha essas regiões pressionadas e continue tampando a ferida. Nunca deixe de chamar ajuda médica.

Parto em local imprevisto

Fonte da imagem: Reprodução/DanielaMatias

É lógico que ter um bebê no carro, a caminho do hospital, não é o sonho de toda mulher, mas esse tipo de coisa acontece. Se você por acaso passar por uma dessas situações, pode até entrar em desespero, mas lembre-se de que o corpo humano tem condições de fazer um ótimo parto, sem precisar de ajuda, inclusive. Não que obstetras, enfermeiros e parteiros sejam desnecessários – muito pelo contrário, só eles podem acompanhar toda a gestação e detectar possíveis problemas.

A questão é que, em uma situação emergencial, é preciso que você enfrente seus medos e tome alguma atitude. No caso de uma criança nascendo, peça para que a mãe respire e acompanhe as contrações – quando a marca estiver em três contrações a cada cinco minutos, arregace as mangas.

O bebê vai sair, naturalmente. Coloque sua mão embaixo da cabeça dele e, aos poucos, vá o puxando, sem usar muita força. Não é necessário cortar o cordão umbilical, basta que você o amarre com um fio, um cadarço de tênis ou algo parecido. Só corte o cordão se você estiver muito longe de um hospital – nesse caso, deixe o cordão grande e corte em um dos nós.

O que você precisa fazer é manter o bebê aquecido e limpo. Tente tirar tudo o que houver na boca do recém-nascido, mesmo que para isso você precise usar seu dedo. Não esqueça: só porque você é um herói e fez um parto longe de um hospital, não quer dizer que não seja fundamental que o bebê e a mãe sejam examinados por um médico o quanto antes.

*Publicado originalmente em 28/11/2013.

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.