Arquivo X da vida real: Pentágono mantinha programa para investigar OVNIs
29
Compartilhamentos

Arquivo X da vida real: Pentágono mantinha programa para investigar OVNIs

Último Vídeo

Não é nenhum segredo que o Governo dos EUA andou desenvolvendo projetos dignos dos roteiros do seriado “Arquivo X”, especialmente por volta das décadas de 40, 50 e 60. Mas, você sabia que o Pentágono manteve um programa secreto focado especificamente na investigação de objetos voadores não identificados entre os anos de 2007 e 2012 — e que o programa contava com orçamento do Ministério de Defesa de US$ 22 milhões (pouco mais de R$ 70 milhões) anuais?

Programa secreto

O programa se chamava oficialmente Advanced Aerospace Threat Identification Program — Programa de Identificação Avançada de Ameaças Aeroespaciais em tradução livre — e sua existência só foi reconhecida no último sábado (16) pelo Pentágono. Segundo os oficiais do Departamento de Defesa, o programa tinha como objetivo analisar avistamentos de OVNIs, mas foi engavetado quando o governo decidiu redirecionar o financiamento para outras prioridades.

PentágonoO Pentágono (Wikimedia Commons/David B. Gleason)

Quem comandava as operações era um especialista em inteligência militar chamado Luis Elizondo que, juntamente com sua equipe, se dedicava a revisar todo tipo de vídeo, documento e material relacionado com supostas aeronaves ultrarrápidas ou objetos misteriosos se comportando de maneira estranha no céu.

Arquivo X da vida real

Entre os casos investigados pelo programa está o de uma dupla de caças F/A-18F Super Hornets enviada para investigar um objeto misterioso que apareceu nos radares do U.S.S. Princeton sobre San Diego, no litoral da Califórnia. A aproximação dos pilotos (bem como seu diálogo) foi capturada em vídeo e, segundo os relatos, o tal OVNI apareceu do nada a uma elevação de 80 mil pés, se deslocava contra ventos de mais de 200 quilômetros por hora, foi observado mergulhar em direção ao mar e pairar sobre a água e 20 mil pés de altitude. Veja:

Voltando ao assunto do programa, de acordo com o que foi divulgado até o momento, quem conseguiu boa parte do financiamento inicial para o programa foi o ex-senador democrata Harry Reid, um político do estado de Nevadao mesmo que abriga a ilustre Área 51 — e que é conhecido por ser um entusiasta de incidentes relacionados com fenômenos espaciais inexplicáveis.

Também existem rumores de que a grande maioria orçamento era endereçada a uma companhia chamada Bigelow Airspace. Nós já falamos aqui no Mega Curioso sobre essa empresa — que é parceira da NASA e foi fundada por um cara chamado Robert Bigelow que, por sua vez, está convencido de que existem ETs entre nós e, coincidentemente, é um dos melhores amigos do ex-senador.

Dizem que com a grana concedida pelo governo, foi construído um armazém “discreto” em Nevada para a condução de interrogatórios de testemunhas — civis e militares — de avistamentos estranhos, assim como para guardar artefatos misteriosos originários de OVNIs e outras evidências. Porém, vale ressaltar que os objetos voadores não identificados não são, necessariamente, naves alienígenas pegas fazendo turismo pelo nosso planeta, né?

O fato é que, apesar de o financiamento do projeto ter sido cortado e o programa oficialmente engavetado em 2012, existem indícios de que as investigações continuaram de vento em popa mesmo assim até, pelo menos, outubro deste ano — mês em que Elizondo pediu demissão por achar que as atividades eram tratadas com um secretismo exagerado pelo Governo dos EUA. E aí, caro leitor, o que você acha disso?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.