Misteriosas anotações queimadas de Isaac Newton vão a leilão

Após a sua morte em 1727, o célebre físico Isaac Newton deixou uma série de anotações não publicadas para serem descobertas por seus admiradores. Apreciador da ciência, o britânico também era um verdadeiro matemático, astrônomo e aficionado pelos mais amplos campos de pesquisa.

Atualmente sendo leiloadas pela sociedade de vendas Sotheby’s no valor de 280 mil libras, os fragmentos de textos resgatados da biblioteca pessoal de Newton, curiosamente, demonstram um pouco da sua admiração por temas mais obscuros, tais quais a alquimia e a teoria do apocalipse bíblico.

Manuscritos queimados

(Fonte: Shotheby's)
(Fonte: Shotheby’s)

Se publicados em sua época, os misteriosos textos de Isaac Newton poderiam talvez serem considerados um comportamento herético, ou aquele que vai de encontro aos dogmas da Igreja Católica. Porém, todo o material obtido sobre as “obras ocultas” do físico britânico não passam de fragmentos de artigos.

Isso porque os textos leiloados na Inglaterra são peças raras sobreviventes de um incêndio que atingiu a residência do físico britânico durante seu tempo na Terra. De acordo com os pesquisadores, as chamas teriam começado depois do cachorro de Newton, Diamond, acidentalmente ter derrubado uma vela acesa no chão da casa.

Apesar de a série de acontecimentos nunca ter sido comprovada, fato é que o incêndio atingiu parte da coleção de escrituras menos notórias do grande gênio, que nos dias atuais seriam categorizados como trabalhos realizados sobre “pseudociências”.

A Grande Pirâmide do Egito

(Fonte: Wikimedia Commons)
(Fonte: Wikimedia Commons)

Em trechos recuperados do fogo, é possível identificar uma verdadeira admiração (ou curiosidade) por parte de Newton em relação à alquimia e também pela teoria do apocalipse presente na Bíblia. A visão do autor sobre esses assuntos poderia ser encarada como controversa para as pessoas de sua época e talvez acarretariam o fim de sua carreira como cientista se vazadas naqueles tempos.

Através de estudos sobre a Grande Pirâmide de Gizé, no Egito, o britânico passou anos tentando desvendar uma forma de medir precisamente a circunferência da terra, mas com objetivos ocultos por trás de sua jornada. Newton acreditava que as incríveis formas arquitetônicas egípcias guardavam as respostas para todos os problemas do planeta e traziam informações sobre o dia exato para o “juízo final”, ou o fim da Terra.

Agora, quatro séculos depois da escrita original, os misteriosos trabalhos de Newton devem encontrar um novo lar em um futuro próximo.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.