Seja o primeiro a compartilhar

Sumiço de turistas em local misterioso da Rússia foi alarme falso

Em fevereiro de 1959, uma equipe formada por nove esquiadores partiu em uma expedição no chamado Passo Dyatlov, uma área montanhosa na região dos Montes Urais, na então União Soviética. Todos foram encontrados mortos dias depois sob circunstâncias no mínimo misteriosas — a ponto de autoridades locais terem reaberto o arquivo do caso em 2019 para buscar respostas.

Agora, a situação quase correu o risco de se repetir. De acordo com o site Newsweek, um grupo de oito turistas aparentemente se perdeu no local e não retornou à base no horário esperado.

As tendas do grupo de esquiadores morto em 1959.
As tendas do grupo de esquiadores morto em 1959.

Porém, tudo não passou de um mal entendido: eles simplesmente não estavam registrados oficialmente como um grupo de expedição e, por isso, houve uma falha de comunicação entre as autoridades russas e a equipe que cuida do resgate de pessoas na região, que achou que uma das equipes não retornou como previsto.

De acordo com o site russo E1, os turistas foram localizados e retornaram para Moscou, mas violaram uma lei federal que obriga a inscrição formal para realizar uma expedição no local dez dias antes do previsto. Não há informações sobre eventuais multas a serem aplicadas pelo governo.

Traumas recentes

O Ministério de Situação de Emergência da região de Sverdlovsk mantém o controle rígido de expedições a locais de acesso remoto, contabilizando grupos que iniciam e terminam passeios turísticos ou a prática de esportes radicais.

A preocupação do governo russo com desaparecidos no Passe Dyatlov é compreensível, especialmente depois do caso de 1959. A região é de fato instável em condições climáticas e, sem guias experientes como acompanhantes, turistas podem se perder ou sofrer acidentes. O período do inverno no Hemisfério Norte é o pior possível para realizar passeios no local, mas a demanda de turistas nessa época do ano cresce a cada nova temporada.

Um mapa com o trajeto feito por turistas para chegar ao local, com trechos de ônibus e caminhadas.
Um mapa com o trajeto feito por turistas para chegar ao local, com trechos de trem, ônibus e caminhadas.

Muitos estão em busca de mais do que apenas um passeio pelos Montes Urais: diversas teorias da conspiração foram formuladas a respeito do acidente original, incluindo a ação de extraterrestres ou o ataque de alguma criatura misteriosa que viva na região — uma espécie russa da lenda do Abominável Homem das Neves. 

O fato de o governo soviético na época ter citado apenas que as mortes foram causadas por uma “força natural arrebatadora” contribuiu para a criação do mito em torno do Passo de Dyatlov.

Uma resposta?

Entretanto, pesquisadores do Instituto de Geotécnica de Zurique, na Suíça, alegam que a explicação não tem nada de sobrenatural. Os cientistas realizaram simulações diversas a partir de um software e concluíram que uma pequena avalanche foi a causadora da morte dos esquiadores originais.

O posicionamento da tenda no momento do acidente.
O posicionamento da tenda no momento do acidente.

A situação teria sido mais complexa: uma fenda aberta no declive próximo ao acampamento para instalação das tendas e ventos fortes teriam contribuído para criar o cenário de ferimentos nos esquiadores, com um soterramento por neve que não foi forte o suficiente para ser detectado nas investigações feitas no período. 

Entretanto, a pesquisa reconhece que alguns elementos do mito de Dyatlov permanecem sem explicação, como traços de radioatividade encontrados no local ou o comportamento dos esquiadores nos momentos que antecederam a morte do grupo.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.