O que eram as esferas misteirosas vistas no céu da Suécia em 1808?

De acordo com documentos do Transactions of the Swedish Academy of Sciences, na tarde de 16 de maio de 1808, algo estranho aconteceu em uma pequena cidade que era chamada Biskopsberga, na Suécia. Na época, o local abrigava aproximadamente 300 pessoas, em sua maioria aldeões que tiravam o sustento das terras férteis para comercializar na cidade de Skanninge, na província histórica da Gotlândia Oriental.

Foi relatado que os habitantes viram vários objetos esféricos voarem pelo céu, todos indo juntos em direção ao Sol. Eles alternavam a velocidade em uma espécie de procissão bem organizada, que ia de leste ao oeste, e que durou mais de 2 horas. Então, de repente, elas começaram a desaparecer depois de deixarem os habitantes apavorados.

O vulcão

(Fonte: Pinterest/Reprodução)(Fonte: Pinterest/Reprodução)

Algumas bolas caíram do céu e foram comparadas com bolhas de sabão. O solo onde caíram foi investigado, porém nenhum resíduo conseguiu ser coletado para análise. Os cientistas apenas perceberam que essas "esferas" deixaram uma espécie de película bem fina, como uma teia de aranha, que mudou de cor até que secasse totalmente e sumisse no chão.

A única pessoa que confirmou e documentou esse fenômeno foi K.G Wettermark, que foi secretário da Academia Sueca de Ciências. Inclusive, o homem deixou registrado que uma dessas "esferas" caiu bem próximo a ele.

(Fonte: Pinterest/Reprodução)(Fonte: Pinterest/Reprodução)

Alguns geólogos que estudaram o caso deduziram que as “esferas suecas”, como ficaram conhecidas, poderiam ser algum tipo de poeira vulcânica, visto que no final da manhã de 1º de maio de 1808, o Vulcão da Urzelina, localizado na ilha de São Jorge, nos Açores (Portugal), explodiu. A erupção devastou a freguesia da Urzelina, criou o mistério basáltico que hoje forma a Ponta da Urzelina, e também foi a responsável por deixar um rastro de destruição por onde passou.

(Fonte: Mountain Forecast/Reprodução)(Fonte: Mountain Forecast/Reprodução)

Os cientistas só conseguem pensar nos gases que emanaram do vulcão após dias de intensa atividade sísmica para a origem dessas "esferas". No entanto, eles ainda não entendem como o vulcão teria formado essas "bolhas" que Wettermark descreveu em seus arquivos históricos.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.