(Fonte da imagem: Reprodução/Universidade de Kiel)

De acordo com uma notícia publicada pelo pessoal do Inovação Tecnológica, pesquisadores da Universidade de Kiel, na Alemanha, desenvolveram uma tecnologia capaz de colar duas substâncias “incoláveis”; o silicone e o Teflon, ambas conhecidas por sua superbaixa aderência.

Os cientistas desenvolveram um método que emprega nanocristais de óxido de zinco — uma substância inerte e passiva que, quando aplicada sobre a superfície de objetos feitos de silicone e Teflon, “grampeia” esses materiais sem provocar nenhuma alteração ou reação química.

(Fonte da imagem: Reprodução/Universidade de Kiel )

Os nanocristais apresentam a forma de estrepes — ou de tetraedros pontiagudos com uma ponta central que se sobressai — e, quando são aquecidos, eles acabam perfurando e penetrando na superfície dos materiais antiaderentes, mantendo-os presos um ao outro com uma força comparada à que une uma fita adesiva a um vidro.

Segundo os pesquisadores, se os tais nanocristais são capazes de juntar materiais “injuntáveis” como o Teflon e o silicone, eles também serão capazes de colar qualquer superfície plástica e pouco aderente. Desta forma, o novo material pode ter grande impacto na medicina, por exemplo, permitindo o desenvolvimento de novos implantes, sensores e máscaras.

Fontes: Inovação Tecnológica e Universidade de Kiel