(Fonte da imagem: Reprodução/WSJ)

Pense em todas as vezes que você resolveu fazer exercícios e aqueles amigos mais “rapidinhos” fizeram pouco de sua vagarosidade para correr. Essa situação pode ter acabado. Uma nova pesquisa publicada no científico British Journal Heart aponta que corridas muito longas e muito rápidas podem a longo prazo se tornar prejudiciais à saúde.

Exercícios físicos são extremamente bons para funcionamento do organismo humano, mas, se a carga de atividades for demasiada, o que era um benefício evidente pode acabar trazendo sérios riscos para seu coração. No passado, o risco fica mais evidente quando notamos a enorme quantidade de pessoas que foram acometidas por morte súbita durante maratonas de longa duração, um número que chegava a atingir um entre 100 mil corredores.

A publicação do British Journal Heart mostra um estudo realizado com 52.600 esportistas cujos resultados ponderam que o ritmo da prática esportiva pode reduzir em 19% o risco de mortalidade. Esse benefício não foi apresentado por aqueles corredores que excediam o trajeto de 40 quilômetros percorridos em uma semana.

Se você é uma pessoa menos apressada, de acordo com o estudo, você certamente conseguirá captar benefícios de sua bateria de exercícios. No entanto, se a velocidade de suas corridas exceder os 12,8 km/h (em torno de 8 mph, no sistema métrico inglês), pode ser que você cause graves danos ao seu coração.

Exercício é saudável

É claro que essa pesquisa está gerando muitas opiniões controversas, e muitos cientistas contrários aos resultados obtidos alegam que a variação depende de cada organismo. Entretanto, praticar exercícios em larga ou pouca escala é fundamental para uma vida saudável.