Confira uma analogia simples que pode ajudar a entender a dor da perda
44
Compartilhamentos

Confira uma analogia simples que pode ajudar a entender a dor da perda

Último Vídeo

Você já deve ter ouvido falar dos “estágios do luto”, não é mesmo? Segundo os psicólogos, tipicamente, nós passamos por 5 deles, começando pela negação, seguido pela raiva, depois pela barganha, então pela depressão e, por fim, pela aceitação. Nem precisamos dizer que o processo de lidar com a perda não é nada fácil e pode ser extraordinariamente doloroso, certo? Além disso, cada pessoa tem seu próprio tempo para atravessar essas fases todas, mesmo que não entendamos muito bem como elas se dão nem como elas vêm e vão.

Entretanto, de acordo com Ilona, do site Bored Panda, uma mulher chamada Lauren Herschel – que teve que enfrentar a perda de sua mãe – descobriu uma forma diferente de entender o luto e os sentimentos associados a esse angustiante período. Trata-se de uma analogia que Lauren aprendeu com seu médico e que ela chama de “A Bola e a Caixa”. Veja um desenho a seguir:

(Reprodução / Bored Panda / Lauren Herschel)

A dor da perda

Lauren explicou que não é muito talentosa com desenhos, mas dá para ver claramente que a ilustração consiste em um quadrado contendo um círculo e um pequeno retângulo vermelho, na lateral esquerda da imagem. Conforme aprendeu com seu médico, a analogia funciona mais ou menos assim: o quadrado representa a caixa, que abriga a bola que, por sua vez, representa a perda, e existe um botão vermelho que simboliza a dor.

Olhe o botão da dor ali (Reprodução / Bored Panda / Lauren Herschel)

O que ocorre é que, logo que perdemos alguém a quem amamos, a bola é enorme e, a todo momento, se move no interior da caixa, tocando o botão da dor, uma e outra vez. Qualquer coisa pode fazer com que a bola se mexa e acione o botão, desencadeando essa onda de emoções, como cheiros, uma música, determinados sabores, enfim... Muitas coisas podem servir de gatilho para que a dor surja, e simplesmente não temos controle sobre elas.

(Reprodução / Bored Panda / Lauren Herschel)

Contudo, com o passar do tempo, a bola vai se tornando gradualmente menor e, com isso, aciona o botão da dor com menos frequência. Isso não significa que a bola não atinja o botão de vez em quando, nos momentos que menos esperamos, e que traga à tona toda a tristeza novamente. Mas isso vai acontecendo de maneira mais esporádica, de forma que as pessoas carregando a caixa conseguem voltar às suas rotinas e a funcionar no dia a dia.

(Reprodução / Bored Panda / Lauren Herschel)

O interessante é que a analogia que Lauren compartilhou mostra que a dor da perda nunca vai embora completamente e, dependendo das lembranças e estímulos, ela volta a nos inundar com sentimentos e sensações que nos machucam. Mas esses episódios vão se tornando mais espaçados, o que nos dá tempo de nos recuperarmos entre um incidente e outro.

A ideia por trás de “A Caixa e a Bola” é bastante simples e traduz de maneira bastante objetiva como lidamos com a dor da perda, além de, para muitas pessoas, ser mais fácil de compreender do que os 5 estágios do luto. E você, caro leitor, o que achou da analogia? Se você já passou pela terrível experiência de perder alguém próximo, acredita que ela explica bem o que sentimos? Conte para a gente nos comentários!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.