Propriedades e benefícios do vinho

O vinho é uma bebida proveniente da fermentação da uva, que há muito tempo, desde épocas mais antigas, demonstra em suas propriedades os benefícios que podem ser oferecidos à saúde. Pode parecer estranho ouvir que uma bebida alcoólica possa auxiliar a saúde, mas trabalhos científicos provaram que substâncias químicas oriundas da uva podem ser, sim, benéficas.

Uva.Uva.

Do que é feito o vinho e quais são seus benefícios?

Considerada um alimento funcional, a uva possui compostos bioativos, como os polifenóis e compostos fenólicos, que são indicados em pesquisas como substâncias  com função antioxidante, ou seja, previnem o envelhecimento das células, participam da prevenção de doenças, possuem propriedades anti-inflamatórias e ajudam na diminuição do colesterol LDL. Os principais polifenóis encontrados no vinho são a quercitina, a catequina e o resveratrol.

O resveratrol é o principal polifenol não flavonoide encontrado na bebida e tem ação antioxidante (diminuindo os radicais livres), anti-inflamatória, cardioprotetora, antidiabetes, anticancerígena, quimiopreventiva, neuroprotetora e protetora renal. Enfatizando seu poder cardioprotetor, o resveratrol diminui os níveis de lipídeos no sangue e a junção de plaquetas que poderiam bloquear as artérias.

Para compreender o que está ingerindo, há uma rápida comparação entre o vinho tinto e o vinho branco. O vinho tinto é feito com a casca e o suco da uva, e é na casca onde há maior concentração de flavonoides; no vinho branco, como é utilizada somente a polpa da fruta, a quantidade de flavonoides, ou seja, de resveratrol, é menor.

O vinho possui também:

  • Minerais: sódio, potássio (grande quantidade), cálcio, fósforo, magnésio, silício, ferro, manganês, zinco e cobre;
  • Vitaminas: quantidades bem pequenas de B1, B2, B5, B6 e B12;
  • Tanino: polifenol que age no sabor do vinho, na adstringência e na secura.

O vinho pode ajudar na prevenção de artrite (por ter poder anti-inflamatório), câncer (por ter ação antioxidante), diabetes (melhora a resposta insulínica nas células), dislipidemias e doenças coronárias (por conta do resveratrol e de outros polifenóis), doenças neurológicas (devido à alta quantidade de polifenóis encontrados no vinho tinto) e doenças resultantes de envelhecimento (problemas de visão e doenças nos ossos).

Vinho tinto.Vinho tinto.

Qual a quantidade diária ser ingerida?

De acordo com a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP), com base na Organização Mundial da Saúde, o consumo moderado diário de vinho tinto é de 90 ml para mulheres e 180ml para homens. Já no caso do vinho branco, 125 ml para mulheres e 250 ml para homens.

Como alerta, vale ressaltar que para usufruir dos bons efeitos do vinho, é necessário ter uma vida saudável (alimentação correta, exercícios físicos...). Todo tipo de bebida alcoólica deve ser consumida com moderação, de modo individualizado e com orientação médica. Quem têm alguma contraindicação ao álcool não deve ingerir essa bebida. Em momento algum incentivo o consumo de bebidas alcoólicas.

***

Marcela Andrade, colunista semanal do Mega Curioso, é bacharel em Comunicação Social com habilitação em Relações Públicas, é bacharel em Nutrição, perita judicial na área da Nutrição e pós-graduanda em Saúde Pública com ênfase em Estratégia Saúde da Família.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.