Seja o primeiro a compartilhar

Por que o ato de bocejar é contagioso?

Ao ver a imagem de destaque desse texto, você bocejou, certo? Saiba que esse ato é realmente contagioso e não somos as únicas espécies que fazemos isso. Outros animais também são contagiados com o ato de bocejar. Mas por que realizamos esse ato? No que ele ajuda o corpo? Entenda.

O que é o bocejo?

De maneira simples, sempre associamos o bocejo como um estímulo do cérebro para mostrar que estamos com sono ou cansados. Bocejar é um reflexo primitivo e a maioria dos animais boceja, como répteis, pássaros, mamíferos e até algumas espécies de tubarões. 

Quando um gato ou cachorro boceja, eles geralmente fazem um grande alongamento ao mesmo tempo. (Fonte: Freepik/Reprodução)Quando um gato ou cachorro boceja, eles geralmente fazem um grande alongamento ao mesmo tempo. (Fonte: Freepik/Reprodução)

Embora esteja associado à sensação de sono, o bocejo não acontece apenas quando nos sentimos cansados. Segundo os cientistas, o ato de bocejar tem relação com a temperatura do cérebro.

Estudos mostram que humanos bocejam menos durante o inverno e mais quando as temperaturas estão amenas. Um longo bocejo traz ar para o cérebro, que pode resfriar ou estabilizar a temperatura do órgão. Essa ação pode estar relacionada a uma tentativa de estimular a área quando estamos mais lentos e fatigados.

O bocejo também comprime os músculos do rosto, levando sangue rico em oxigênio ao cérebro. Animais com cérebros maiores tendem a bocejar por períodos mais longos, talvez inspirando mais ar para resfriar um cérebro maior. 

Por que esse ato é contagioso?

Há mais de 200 anos que os especialistas tentam identificar as causas do bocejo e porque eles são tão contagiosos. Ao ver alguém bocejando, temos um reflexo quase incontrolável de repetir o ato. 

A ciência tem algumas hipóteses que tentam explicar a reação. Além do cansaço, que pode ser mútuo em dois indivíduos, também é possível explicar pelo comportamento espelhado. 

O ato de bocejar funciona como um ventilador cerebral, sendo um gatilho que desperta todo o corpo e cérebro por meio da respiração com a finalidade de diminuir a temperatura cerebral. (Freepik/Reprodução)O ato de bocejar funciona como um ventilador cerebral, sendo um gatilho que desperta todo o corpo e cérebro por meio da respiração com a finalidade de diminuir a temperatura cerebral. (Freepik/Reprodução)

Como animais sociais, tendemos a imitar as ações de outros se pensarmos que isso ajudará na socialização. Isso também ocorre com o ato de rir e de coçar e tudo está associado ao nosso tronco cerebral. Um estudo mostrou que alunos mais empáticos eram mais propensos a bocejar depois de ver outra pessoa bocejando.

Outro estudo mostrou que leões também seguem o mesmo hábito. A pesquisa sustenta a teoria de que o bocejo contagioso pode ter evoluído para estimular a vigilância do grupo entre animais que vivem de forma colaborativa, como os lobos e chimpanzés e leões.

Por fim vai uma dica: se você estiver preso em uma série de bocejos, tente respirar profundamente pelo nariz por alguns minutos. O ato ajudará no fluxo de oxigênio, diminuindo o número de "aberturas de boca". 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER