Seja o primeiro a compartilhar

Síndrome de Burnout: 6 fatos sobre a doença do cansaço extremo

Desde que a pandemia de covid-19 tomou conta do planeta no início de 2020, uma realidade gritante bateu na porta da sociedade: cada vez mais pessoas passaram a apresentar esgotamento mental e profissional, o que é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como Síndrome de Burnout.

Segundo um relatório apresentado pela empresa de RH Indeed, 52% dos trabalhadores entrevistados estão se sentindo exaustos — 9% a mais do que os números pré-pandemia. Com isso, cada vez mais pessoas estão sofrendo a pressão de ter que trabalhar com níveis extremos de estresse, fadiga física e psicológica, e novos desafios para a saúde mental. Veja só seis fatos a respeito da Síndrome de Burnout.

1. O que é a Síndrome de Burnout?

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

De acordo com a classificação da OMS, o esgotamento dos funcionários como uma “síndrome conceituada como resultante do estresse crônico no local de trabalho que não foi gerenciado com sucesso” pode ser definida através de três sinais majoritários. São eles:

  • Sentimentos de esgotamento ou exaustão de energia;
  • Aumento da distância mental do trabalho ou sentimentos negativos em; relação à carreira
  • Produtividade profissional reduzida.

Esse tipo de exaustão emocional possui um sério impacto no bem-estar dos funcionários e é um problema de saúde pública que só piora se não for abordado pelas empresas.

2. Taxas de burnout

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Uma pesquisa feita pela empresa norte-americana Gallup entrevistou 7,5 mil funcionários em tempo integral e descobriu que 23% afirmaram se sentir esgotados no trabalho sempre ou com muita frequência. Além disso,  67% disseram que experimentam às vezes a Síndrome de Burnout

Dessa forma, dois terços dos funcionários lidaram com o esgotamento profissional recentemente. Esse problema psicológico é ainda mais frequente entre moradores dos Estados Unidos. Segundo a Gallup, 55% dos norte-americanos sofre estresse excessivo no trabalho enquanto a média global é de 35%. 

3. Principais sintomas

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Como saber se uma pessoa está sofrendo a Síndrome de Burnout? Apesar de não parecer ser um distúrbio psicológico tão fácil assim de identificar, existem alguns sinais recorrentes de que um funcionário pode estar passando por um momento de muito estresse.

Nesses casos, essa pessoa sofrerá fadiga crônica, irritabilidade frequente, dores de cabeça, dificuldades para dormir, sistema imunológico fraco e outras coisas a mais. Além disso, esse distúrbio também pode vir acompanhado de sintomas de ansiedade e depressão.

4. Burnout x Estresse

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Apesar da Síndrome de Burnout até soar como um estresse convencional vivenciado no trabalho, as duas coisas não são iguais. Apesar de as duas coisas estarem intimamente conectadas, o estresse acontece por um curto período devido a uma ocasião específica.

Enquanto isso, o esgotamento profissional é resultado de um constante estresse que suga todas as suas energias e parece ainda mais intenso. Logo, esse é um distúrbio que assombra as pessoas por um período mais prolongado.

5. Facilidade para extrovertidos

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Pessoas extrovertidas estão menos propensas a desenvolverem a Síndrome de Burnout quando em comparação com seus amigos introvertidos. A razão para isso é porque essas pessoas tendem a ser mais positivas e emocionalmente mais estáveis, o que facilita a controlar esse distúrbio psicológico.

Quando uma pessoa é socialmente mais aberta e otimista, o risco do esgotamento profissional se torna reduzido. Mesmo assim, isso não significa que esses indivíduos são completamente imunes ao problema.

6. Busca por cura

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)

Parece uma resposta óbvia, mas parar de trabalhar tanto é uma das formas de evitar a Síndrome de Burnout. Isso não significa que um trabalhador deve abandonar totalmente suas tarefas, mas que não é prudente ficar aceitando trabalhar horas extras e pular férias para conseguir renda extra o tempo todo.

Quando estamos esgotados, isso passa a se manifestar como uma doença e nada será curado sem um bom repouso. Portanto, é importante medir os limites do corpo.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.