Conheça o besouro nervoso que dispara jatos superquentes pelo traseiro
108
Compartilhamentos

Conheça o besouro nervoso que dispara jatos superquentes pelo traseiro

Último Vídeo

Já falamos a respeito de uma série de animais aqui no Mega Curioso com mecanismos de defesa — e ataque! — pra lá de inusitados, como é o caso da lagarta que ingere tabaco e repele os predadores com seu hálito tóxico, e o peixe capaz de transformar a água que o rodeia em uma meleca que pode sufocar seus inimigos.

Pois hoje vamos falar a respeito dos besouros-bombardeiros, que são insetos nervosos que disparam jatos de uma substância superquente pelo traseiro quando se sentem ameaçados! Bem, na verdade, tecnicamente falando, esses animais não usam o ânus para atacar seus predadores... Calma, já vamos explicar!

Explosivos

Os besouros-bombardeiros podem ser encontrados em todos os continentes — exceto na Antártida —, e são equipados com duas glândulas nas extremidades de seus abdomes. Essas estruturas contêm diferentes substâncias químicas, e quando os insetos são provocados, eles produzem explosões na forma de um intenso spray — ejetado a temperaturas rondando os 100° C — para afugentar suas presas. Assista ao bichinho em ação a seguir:

Mecanismo de ação

Recentemente, uma equipe de pesquisadores — do MIT, da Universidade do Arizona e do Brookhaven National Laboratory, nos EUA — observou o interior dos besouros-bombardeiros a partir de imagens capturadas a 2 mil quadros por segundo. Eles descobriram que as duas glândulas localizadas no abdome dos insetos armazenam compostos químicos diferentes que, enquanto forem mantidos separados, não reagem entre si.

No entanto, os bichinhos também possuem uma câmara no interior de seus abdomes na qual essas substâncias são liberadas e misturadas, resultando na reação química explosiva que caracteriza o mecanismo de defesa desses besouros. Além disso, essa estrutura serve de proteção e evita que os insetos sofram danos físicos durantes as explosões.

Boom!

Segundo o pessoal do MIT, as imagens dos besouros em ação revelaram que a pulsação do vapor é controlada por meio de um espaço localizado entre duas porções que existem no interior da câmara onde as substâncias químicas são misturadas, e que esse processo é regulado por uma membrana flexível e uma válvula.

Assim, no momento que a válvula se abre, uma pequena gotinha oriunda de uma das glândulas penetra na câmara e reage com a outra substância química, e a pressão provocada pela explosão força um jato que é disparado através do canal de saída. Além disso, a pressão também acaba forçando a membrana que compõe o sistema que, por sua vez, fecha a válvula e impede que outras gotinhas entrem na câmara de reação.

Após a liberação do jato, conforme a pressão no interior da câmara volta a cair, a membrana relaxa e a válvula se abre novamente, permitindo que outra gotícula penetre e uma nova explosão seja provocada. Boom! Graças a esse sistema, os besouros-bombardeiros são capazes de produzir uma quantidade relativamente grande de spray em um curto período de tempo — além de conseguir mirar e dirigir os jatos com grande precisão. Incrível, você não acha?

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.