Menino de 11 anos acha artefato raro durante caminhada em Israel

Um israelense de 11 anos encontrou sem querer um artefato que é considerado extremamente raro e agora deve fazer parte de um museu e instituto de pesquisa.

Zvi Ben-David estava passeando com os pais na região desértica de Negev, próximo ao rio Bsor, quando avistou um objeto que chamou a sua atenção imediatamente. À primeira vista, ela poderia parecer uma pedra polida, mas o item era na verdade um raro e antigo objeto.

Meio sem querer

O item encontrado por Ben-David é um amuleto da fertilidade de apenas 7 centímetros de altura e 6 centímetros de largura, possivelmente usado há mais de 2.500 anos. 

Feita de cerâmica, a estátua retrata uma mulher com um cachecol, os seios descobertos e as mãos entrelaçadas — é difícil determinar a forma do objeto devido aos desgastes naturais.

Uma das imagens da estátua.Uma das imagens da estátua.

Ele possivelmente pertencia a um casal com dificuldades para ter filhos. Era comum que a civilizações do período recorressem a esse tipo de objeto na tentativa de uma gravidez bem sucedida — algo complicado com menos condições de saúde e com altas taxas de mortalidade infantil como no período.

Segundo a Israel Antiquities Authority, que contou a história em seu perfil oficial no Facebook, apenas um outro exemplar da estatueta foi encontrada até agora na região, atualmente armazenada na coleção do Tesouro Nacional do país. 

Zvi Ben-David.Zvi Ben-David.

A mãe do jovem, Miriam Ben-David, é guia turística e rapidamente percebeu que o filho encontrou um objeto diferenciado. Foi ela quem contatou as autoridades e entregou a estatueta.

Os arqueólogos do instituto elogiaram a postura do menino ao recuperar o item, mesmo que sem querer, e entregá-lo aos pesquisadores. Ele ainda recebeu um certificado pelos serviços prestados.

O amuleto agora será estudado e levado ao Tesouro Nacional de Israel.O amuleto agora será estudado e levado ao Tesouro Nacional de Israel.

O deserto de Negev ocupa mais da metade do território de Israel. No período em que os pesquisadores acreditam ser o de confecção do amuleto, a região era ocupada por assentamentos que viviam a Era do Bronze. O local ainda é citado em textos bíblicos envolvendo o rei Davi.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.