Você sabia que a Apple proíbe vilões de usarem iPhone em cena?

Não é novidade que as empresas investem pesado na divulgação dos seus produtos com o intuito de cultivar uma imagem impecável perante o mercado. Criar esse vínculo com o consumidor é o aspecto mais importante de uma estratégia de marketing e publicidade.

Isso inclui criar um senso de identificação com os personagens da sua série favorita ou do filme mais esperado do ano. Você já deve ter percebido como diversas marcas são exibidas de forma sutil nas principais mídias usadas como vitrines para divulgar produtos. Porém, como essa tática é executada costumava ser um segredo de Hollywood.

O assunto foi trazido à tona por Rian Johnson, diretor de Star Wars: Os Últimos Jedi. Durante o período de divulgação de seu filme mais recente, Knives Out, ele admitiu que vilões não podem ser vistos em cena usando produtos da marca, tampouco o logotipo da Apple pode ser exibido no cenário.

Cena do filme Knives OutJamie Lee Curtis em cena do filme Knives Out (Fonte: Vanity Fair/Youtube)

Segundo Johnson, a explicação é que a gigante de tecnologia deseja evitar a associação da empresa com situações negativas. Além de tomar esse cuidado, é preciso garantir que a exibição dos produtos ocorra de modo que eles sejam apresentados de forma favorável. Essa é uma questão contratual que pode representar uma fatia significativa dos ganhos dos estúdios.

Só mocinhos usam iPhone

A estratégia de product placement ou marketing indireto não é novidade ou exclusividade da Apple. A ideia é que o elenco tenha interações naturais com o produto. Em um escritório, por exemplo, pode ser que os executivos sejam vistos usando computadores de um fabricante específico e, mais tarde, dirijam veículos de uma montadora conhecida e abasteçam o carro em um posto de gasolina famoso.

O filme O Show de Truman (1998) explora essa prática de forma cômica e exagera na medida ao exibir mais de 60 marcas em pouco mais de 90 minutos de história. Embora, esse conceito não seja novidade, o primeiro registro de product placement tem mais de 100 anos, a Apple levou essa prática a um novo patamar com as suas demandas.

(Fonte: Unsplash/Michal Kubalczyk)(Fonte: Unsplash/Michal Kubalczyk)

As produções de cinema e TV são um mercado bilionário, portanto, faz sentido as marcas investirem nessas produções e criarem estipulações para os seus produtos serem exibidos.

Para os nossos leitores, fica a dica: se um personagem está usando um eletrônico que não seja da Apple, há grandes chances de que esse seja o vilão da trama. Aproveite a série ou o filme, mas não dê spoiler!

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.