Seja o primeiro a compartilhar

Curupira: conheça a origem do personagem do folclore

O folclore brasileiro é bastante rico e repleto de figuras que atiçam o imaginário de muita gente. Entre elas, uma das mais populares é o curupira.

Conhecido como guardião das florestas, ele possui pés virados para trás, o que poderia confundir facilmente qualquer um que tenta persegui-lo. Ele também consegue pregar diversas peças entre os mais desavisados que andam pelas matas, e possui uma origem mais antiga do que muitos são capazes de imaginar.

Origem do curupira

Não existe nenhum registro histórico comprovando exatamente quando o curupira surgiu, mas em um de seus escritos o padre José de Anchieta, que viveu durante o século XVI, já mencionava a figura folclórica como um "demônio que acomete os índios".

Por conta disso, tanto indígenas quanto bandeirantes o consideravam uma criatura perigosa e muito temida, tendo em vista que muitas vezes ele era associado a casos de violência e até mesmo rapto de crianças.

Protetor das florestas já foi mencionado em escritos do padre José de Anchieta. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)Protetor das florestas já foi mencionado em escritos do padre José de Anchieta. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

Entre estes grupos, uma das histórias mais contadas é que ele era capaz de raptar crianças e devolvê-las para os pais apenas sete anos depois — o que, certamente, ajudou a aumentar o medo entre aqueles que viveram nesse período da história.

Outras informações sobre o curupira

Ainda sobre a figura folclórica, é preciso dizer que seu nome tem origem no tupi guarani, e significa "corpo de menino". Além disso, vale mencionar que sua lenda varia de acordo com a região do país, pois em alguns lugares ele é descrito como um duende, enquanto em outros ele porta um machado capaz de assustar qualquer um.

Por fim, o curupira possui uma data celebrativa no calendário civil (17 de julho), e muitas vezes é confundido com outra figura do nosso folclore, a caipora. Apesar de ambos protegerem as florestas, suas histórias e tradições não devem ser misturadas.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.