Como a qualidade do sono afeta sua saúde mental?

Como a qualidade do sono afeta sua saúde mental?

Último Vídeo

Há pouco tempo, falamos sobre a relação entre dormir mal e ter a memória prejudicada. Não há dúvidas de que nosso sono influencia fortemente a maneira como nos sentimos tanto em termos de disposição física quanto no que diz respeito à forma como nossa mente trabalha.

É cada vez mais importante bater nessa tecla e lembrar, sempre que possível, que uma pessoa adulta precisa dormir por um tempo entre 6 e 8  horas, todas as noites, para que se sinta bem e se mantenha saudável.

O problema é que, seja por questão de estudos, família ou trabalho, muitos de nós acabamos sacrificando esse tempo de sono e dormimos pouco e mal, e um bom jeito de saber se você tem dormido pelo tempo ideal ou não é ver como está sua disposição aos fins de semana – sentir vontade de passar o sábado e o domingo inteiros na cama, vendo série e tirando cochilos é um bom indicativo de que você não tem dormido bem.

Dormir mal faz mal

Em termos de saúde mental, o que se sabe é que dormir mal e por pouco tempo é algo que piora nossa cognição, nosso estado de alerta e, inclusive, nossa sensação de bem-estar emocional.

Toda essa preocupação nos direciona também para o funcionamento de nosso relógio biológico, que é basicamente o jeito do nosso corpo de, naturalmente, nos fazer sentir sono e nos acordar – é por causa do seu relógio biológico que você às vezes acorda alguns minutinhos antes de o despertador tocar, por exemplo.

É especialmente importante ter atenção com o relógio biológico dos adolescentes, que muda bastante no início da puberdade – nessa fase, o ideal é dormir entre 9 e 11 horas por noite. O funcionamento desse sistema e um sono adequado são responsáveis pela liberação da melatonina, uma substância que nos ajuda a dormir.

Conexões

No caso dos adolescentes, já é comprovado que aqueles que vão para a aula mais tarde têm melhores desempenhos em relação aos que precisam madrugar – além disso, são pessoas menos deprimidas e irritadas. Estudar mais tarde faz também com que esses alunos se sintam motivados a fazer atividades extracurriculares, e o mesmo vale para estudantes universitários, que não tiram boas notas quando dormem mal.

Para compreendermos melhor por que isso acontece, precisamos entender o funcionamento do cérebro, que continua a processar informações e formar novas conexões mesmo durante o sono. Só para você ter ideia, nós conseguimos até mesmo ter insights para a solução de alguns problemas enquanto estamos dormindo.

Quando estamos há muito tempo sem dormir direito, acumulando sono e cansaço, nosso cérebro acaba tendo dificuldades para processar coisas novas que aprendemos. Além disso, a privação de sono nos faz agir de forma estranha, tomando atitudes equivocadas e, inclusive, agindo com agressividade.

Saúde mental

Entre os problemas de saúde mental que têm relação com a falta de sono  e que podem ser mais bem tratados quando dormimos bem  estão a ansiedade, a depressão, o transtorno bipolar, o transtorno de hiperatividade com déficit de atenção e até mesmo a síndrome do estresse pós-traumático.

Se você tem dificuldades para dormir, se acorda muito durante a noite ou se não consegue dormir por pelo menos 6 horas, é bacana procurar ajuda médica. Há clínicas especializadas em tratar distúrbios de sono, e, depois de receber a ajuda necessária, você certamente vai se sentir muito melhor.

Até lá, certifique-se de que seu quarto seja um ambiente agradável, limpo, tranquilo e livre de luz. Não use celular, computador, tablet ou televisão antes de dormir e, de preferência, não durma de estômago e bexiga cheios. Essas medidas simples já são capazes de melhorar bastante a sua relação com o sono.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.