Sabe o que é essa coisa bizarra da foto? Uma das flores mais raras do mundo

Sabe o que é essa coisa bizarra da foto? Uma das flores mais raras do mundo

Último Vídeo

À primeira vista, a imagem estranha parece mostrar algum tipo de animal marinho bizarro, você não concorda? No entanto, em vez de bicho, se trata de uma planta — e uma muito, muito rara, uma que ninguém via há mais de 150 anos! De acordo com Jason Daley, do site Smithsonian.com, o curioso vegetal, endêmico da Malásia, foi descoberto pelo botânico italiano Odoardo Beccari na floresta de Sarawak em 1866 e, desde então, nunca mais foi visto.

Flor bizarraDesenho de Odoardo Beccari (Science Alert)

Até que, no ano passado, um time de pesquisadores tchecos que visitou a mesma região explorada por Odoardo e, adivinhe! Sim, os cientistas tropeçaram com a mesma flor. Ela pertence à espécie Thismia neptunis e, como você viu pelo histórico, é incrivelmente rara. Tanto que, até onde se sabe, as fotos que incluímos ao longo da matéria são as primeiras e únicas já clicadas dessa planta (Odoardo apenas fez desenhos e descrições detalhadas a século e meio atrás).

Raridade

Segundo Jason, a parte de florescência da planta mede menos de dez centímetros de altura, mas o pequeno tamanho não é a única coisa que torna a observação das T. neptunis difícil. Conforme os cientistas explicaram, essas plantas passam a maior parte de suas vidas debaixo da terra e só aparecem na superfície quando estão prontas parar florescer.

Planta bizarraEsquisitinha (Science Alert/Sochor et al)

Durante esse processo, um talinho de cor creme com um bulbo alaranjado na ponta aparece e, quando a floração acontece, a planta desabrocha e três estruturas que lembram antenas aparecem. Outra curiosidade é que, como as T. neptunis não fazem fotossíntese, elas obtêm nutrientes a partir de fungos que se proliferam no solo nas proximidades de plantas que, sim, sintetizam seus alimentos a partir da luz solar.

Planta bizarraNão lembra um alien? (Science Alert/Sochor et al)

Voltando às flores, elas duram apenas algumas semanas e só surgem uma vez por ano — e olhe lá! Assim, com um comportamento peculiar como esses, não é de se estranhar que elas tenham passado tanto tempo sem ser vistas. Tomara que agora que elas foram redescobertas a galera não decida procurá-las e colhê-las até a extinção. 

Thismia neptunis Olha ela aí! (Atlas Obscura/Michal Sochor)

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.