Sangue fervendo e crânios explodindo: assim morreram vítimas do Vesúvio
05
Compartilhamentos

Sangue fervendo e crânios explodindo: assim morreram vítimas do Vesúvio

Último Vídeo

Como todo mundo sabe, a erupção do Monte Vesúvio — que ocorreu em 79 d.C. e provocou a morte de um número estimado em mais de 16 mil pessoas — está entre as mais famosas da História. A catástrofe se tornou especialmente icônica por conta da destruição da cidade de Pompeia, que só foi ser encontrada sepultada sob 6 metros de material vulcânico no século 16, e à descoberta de milhares de restos mortais humanos durante escavações realizadas no século 18.

Corpos de PompeiaVocê já deve ter visto imagens como esta, né? (Wikimedia Commons/Lancevortex)

Você pode conferir uma interessante matéria cheia de informações relacionadas com os corpos encontrados em Pompeia através deste link, mas o fato é que, além dessa cidade, a de Herculano também foi destruída durante a erupção do ano de 79 — embora se fale menos sobre a tragédia que aconteceu por lá. E, olhe, a coisa foi bem tensa para a população dessa localidade! Bem tensa mesmo...

Descobertas recentes

Herculano, caso você nunca tenha ouvido falar dela, era uma cidadezinha que ficava a beira mar e era um dos locais de veraneio da elite de Roma. Quando o Vesúvio entrou em erupção centenas de pessoas que se encontravam por lá — mais de 300, segundo as estimativas — tentaram se refugiar em construções mais próximas da água, com o propósito de se proteger dos fragmentos de rocha, cinzas e lava que o vulcão estava cuspindo.

No entanto, esses eram os menores dos problemas — considerando o que veio depois. Não que a ejeção de rochas, lava e cinzas não seja perigosa. Ela é! Entretanto, o maior perigo associado às erupções são os fluxos piroclásticos, ou seja, as ondas de gás extraordinariamente quente e que desce vulcão abaixo a altíssimas velocidades.

Herculano, na verdade, se encontrava mais próxima do Vesúvio do que Pompeia e, de acordo com um estudo recente, realizado por pesquisadores do Hospital Universitário Frederico II, situado em Nápoles, na Itália, enquanto os pompeanos foram atingidos por fluxos piroclásticos com temperaturas entre os 200 e 250 graus Célsius, as pessoas que se encontravam em Herculano foram atingidas por gases entre os 400 e 900 °C.

Evidências

Os cientistas examinaram 103 esqueletos coletados em Herculano e, depois de examiná-los detalhadamente, encontraram um resíduo avermelhado de origem mineral nos ossos, incluindo na parte interior dos crânios. Uma característica observada nos corpos foi que muitas das cabeças se encontravam fraturadas — mas algo curioso que os pesquisadores notaram foi que as lesões mostravam sinais de terem ocorrido de dentro para fora.

Crânios fraturadosPobres diabos (Magnet)

Então, os exemplares foram submetidos a análises microscópicas e de espectrografia, e os resultados apontaram que o resíduo detectado no interior dos crânios consistia em um material que surge quando o sangue humano ferve e converte em vapor. Segundo os pesquisadores, as evidências sugerem que a substância é produto da vaporização rápida de fluídos corporais e tecidos moles — assim que, vá imaginando o que aconteceu... Poft.

Mortes sinistras

De acordo com os cientistas, uma diferença entre os corpos de Pompeia com relação aos descobertos em Herculano é que, enquanto muitos dos pompeanos foram encontrados em “posição de pugilista” — postura resultante do encurtamento de fibras musculares e tendões devido ao calor —, os de Herculano foram achados com os corpos em posições mais naturais, mas com fraturas cranianas.

Esqueletos humanos(Magnet)

O que os pesquisadores acreditam que aconteceu foi que, quando essas pessoas foram envoltas pela onda de fluxo piroclástico, seus músculos se transformaram em cinzas antes mesmo de terem tempo de se contrair. Além disso, seu sangue e outros fluídos corporais ferveram imediatamente, sem falar que os cérebros entraram em ebulição — e o vapor resultante provocou um aumento na pressão craniana e a explosão de suas cabeças. Pense...

Crânios humanos(Smithsonian.com)

Segundo os cálculos, a erupção do Monte Vesúvio liberou uma quantidade de energia 100 mil vezes superior à da explosão da Bomba de Hiroshima, na Segunda Guerra Mundial. Por sorte, no caso da população de Herculano, tudo aconteceu em uma fração de segundos, assim, apesar de essas pobres pessoas terem morrido de uma forma incrivelmente terrível, tudo aconteceu extremamente rápido.

Mas... vamos deixar você com uma informação para refletir: Nápoles conta com uma população de mais ou menos 3 milhões de habitantes e fica aos pés do Vesúvio, e esse vulcão costuma entrar em erupção a cada 2 mil anos. A que matou essa galera toda aconteceu em 79, então, faça as contas!

***

Você conhece a newsletter do Mega Curioso? Semanalmente, produzimos um conteúdo exclusivo para os amantes das maiores curiosidades e bizarrices deste mundão afora! Cadastre seu email e não perca mais essa forma de mantermos contato!

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.