Smartphone consegue determinar o período de ovulação

Smartphone consegue determinar o período de ovulação

Último Vídeo

Apesar da grande variedade de métodos contraceptivos que existem no mercado, nem todas as opções são as mais seguras para as mulheres. Pílulas anticoncepcionais são muito práticas e possuem uma eficácia bem grande, mas a quantidade de hormônios liberados para a inibir a ovulação traz consequências que nem sempre são levadas em conta.

Por isso, cada vez mais aumenta o número de mulheres que preferem utilizar métodos menos agressivos, baseados no período de ovulação natural. O grande problema dessa opção é que a análise do período fértil é feita através do calendário e de sinais apresentados pelo corpo.

Auxílio tecnológico

Como nosso corpo não é uma máquina que responde sempre da mesma maneira, os sinais que indicam a ovulação nem sempre são tão claros e podem ser influenciados por uma infinidade de fatores.

A melhor forma de se determinar o período fértil é através de um exame de sangue, que possui grande precisão, mas é pouco prático e caro demais para se repetir com frequência. A análise de sinais emitidos pelo corpo, como variações de temperatura ou alterações de mucosas, também funciona, entretanto precisam de uma análise muito mais criteriosa para que sejam utilizados sem problemas.

Uma das formas mais diretas para se determinar a ovulação é através da análise da saliva, que nesse período apresenta um aspecto semelhante ao de uma folha de samambaia quando seca. Com base nisso, uma equipe do Brigham and Women's Hospital desenvolveu um aplicativo capaz de analisar uma amostra de saliva e, através do uso de inteligência artificial, determinar se a mulher está ovulando.

Para validar a solução, a equipe comparou diversos testes, analisando os dados obtidos através da saliva e de exames de sangue. Os resultados não poderiam ser mais animadores, com a correta identificação de 99% das amostras em que existia ovulação e 100% das que não estavam no período fértil.

Apesar dessa precisão laboratorial, nem tudo são flores. O sistema de análise sofre com as mesmas limitações de outros testes, pois não se pode detectar a ovulação corretamente em mulheres que possuem desequilíbrio de estrogênio, cistos no ovário ou que administrem medicamentos para fertilidade. Além disso, fumar ou consumir álcool pode influenciar os resultados. Antes de ser colocada no mercado, a solução ainda precisa de testes com um maior número de pessoas, além da aprovação de órgãos reguladores.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.