Por que os sapos depositam seus ovos em pegadas de elefantes?

Por que os sapos depositam seus ovos em pegadas de elefantes?

Último Vídeo

Os sapos de Mianmar, país antes conhecido como Birmânia, descobriram um lugar inusitado para depositar seus ovos e fazer seus "berçários": as trilhas cheias de poças d'água deixadas pelos elefantes no solo úmido das florestas tropicais.

Estudo feito por biólogos e herpetólogos (estudiosos de répteis e anfíbios) da Universidade de La Verne da Califórnia, e publicado na revista Mammalia, afirma que a água acumulada dentro dos rastros dos elefantes duram mais de um ano e permanecem como um verdadeiro ecossistema lacustre, mesmo durante a estiagem, fornecendo um habitat temporário e protegido de predadores para os anuros (sapos, rãs e pererecas). Essas trilhas poderiam funcionar como trampolins naturais a conectar essas populações de anfíbios.

Engenheiros de ecossistema

Muitos animais fornecem de graça esse serviço essencial de criar habitat e construir "residências", ainda que provisórias, para outras espécies que não são capazes de fazê-las por si próprias. Embora possam parecer precárias, seriam vistas como arranha-céus ou condomínios de luxo no mundo humano.

Os elefantes asiáticos, quando pisam, forrageiam e deixam o seu (não tão pequeno) cocô, formam uma enorme pegada ambiental, literalmente. Esses imprints paquidérmicos são marcantes, e profundos.

Fonte: De Gruyter

Os hábitos alimentares desses avantajados proboscídeos convertem faixas de vida vegetal em adubo que, a um só tempo, enriquece o solo da floresta e fornece nutrientes para as criaturas terrestres e aquáticas. Ao derrubar galhos e árvores, os elefantes acabam criando abrigos naturais para lagartos e pequenos mamíferos.

Salvem os elefantes! E os girinos!

Infelizmente, esse animal maravilhoso, o Elephas maximus, está marcado na lista da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza) como uma espécie ameaçada de extinção. 

Steven Platt, que liderou a equipe de pesquisadores nas florestas de Mianmar, alerta que: "Quando você perde uma espécie, pode, sem saber, estar afetando outras, e esse é motivo pelo qual proteger ecossistemas intactos, com a manutenção da biodiversidade, é tão importante."  

Isso significa que, por mais que pareça sem nexo, salvar os elefantes de extinção acaba sendo o mesmo que salvar os sapos, e todos os condômino das pegadas daqueles grandões. Não tem muita lógica, mas uma certa beleza.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.