Seja o primeiro a compartilhar

Técnica de edição de genes dá resultado em pacientes humanos

Depois de muita polêmica, a edição de células-tronco dá seus primeiros resultados práticos no tratamento de doenças genéticas, através de uma tecnologia denominada CRISPR. Do inglês Clustered Regularly Interspaced Short Palindromic Repeats (Repetições Palindrômicas Curtas Agrupadas e Regularmente Interespaçadas), o CRISPR é uma técnica que permite cortar o DNA e desativar grupos de genes, adicionar novos ou modificar suas funções.

Foram tratados dois pacientes com doenças genéticas do sangue. Um deles, europeu, tem talassemia (o corpo produz pouca hemoglobina) e iniciou o tratamento em março; o outro paciente, americano, sofre de anemia falciforme (as hemácias têm a forma de foice) e começou a nova terapia em abril.

Na anemia falciforme, as hemácias deformadas obstruem os vasos, causando dor. (Fonte: Shutterstock/Victor Josan)

Nos dois casos, efeitos das doenças foram eliminados: o americano não sofre mais de crises de dor (provocadas quando as hemácias deformadas entopem vasos sanguíneos) e o europeu não precisa mais de transfusões de sangue, o protocolo adotado para pacientes com a sua doença.

A técnica consistiu em usar genes de células-tronco dos pacientes, editados em laboratório e ligados a uma versão do gene da hemoglobina normalmente desativada na idade adulta. As células-tronco são, então, transplantadas de volta para a medula óssea do paciente para produzirem hemoglobina em quantidades normais.

Fazendo história pelo bem ou pelo mal

Os resultados promissores do tratamento, chamado de CTX001 e desenvolvido pela CRISPR Therapeutics e pela Vortex, mostram que ele é seguro o bastante para que sejam feitos novos ensaios clínicos. Os testes clínicos devem contar agora com 45 pacientes dos EUA, do Canadá e da Europa, cada um sendo acompanhado por um tempo mais longo em uma avaliação de segurança de longo prazo.

O CRISPR não é um procedimento desconhecido do público: no ano passado, a técnica de edição do DNA levantou questões morais e éticas quando o cientista chinês He Jiankui revelou ter modificado geneticamente embriões de gêmeos humanos. O escândalo levou a comunidade científica a pedir uma moratória global no uso da técnica.

Técnica de edição de genes dá resultado em pacientes humanos via TecMundo

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER