Filhote de 18 mil anos congelado pode ser o cachorro mais antigo

Filhote de 18 mil anos congelado pode ser o cachorro mais antigo

Último Vídeo

Um filhote canino de mais de 18 mil anos foi encontrado na Sibéria, em uma região onde ocorre o chamado permafrost, ou seja, o solo fica permanentemente congelado e só descongela supercialmente nas épocas mais quentes do ano. As fotos da descoberta, feita no último verão, foram compartilhadas por pesquisadores suecos.

A espécie foi encontrada numa região remota do nordeste siberiano, a algumas horas da cidade de Belaya Gora. O animal continua na Rússia enquanto a pesquisa segue na Suécia.

O animal foi descoberto extremamente bem conservado, com a arcada dentária completa. Os estudos feitos até o momento não concluíram se a criatura se trata de um cachorro ou de um lobo, especialmente porque na região onde ele foi descoberto os cães já eram domesticados.

Suposto cachorro contribuirá para pesquisas na área

Foto: Kennedy News/Unilaid

Porém, os pesquisadores Love Dalén e Dave Stanton acreditam que realmente o animal seja um cachorro. Se confirmado, a informação nos ensinará muito sobre quando os lobos começaram a ser domesticados.

Os pesquisadores russos que participam do estudo chamaram o animal de Dogor, um trocadilho para “cachorro ou lobo” (dog or wolf, em inglês). Apesar de ter milhares de anos, Dalén afirma que parece que o suposto cachorro morreu recentemente.

A preservação do animal se deu pois estava encoberto por um túnel dentro da camada congelada do solo, de acordo com Stanton. Ele afirmou ainda que a descoberta "é muito emocionante, uma vez que pode contribuir com grandes respostas para esse campo de pesquisa”.

O pesquisador russo Sergey Fedorov foi o responsável por remover a sujeira do animal. Apesar da coluna e das costelas do animal não estarem em condições ideiais, Fedorov afirmou que “é incrível poder ver e tocar na história da Terra”.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.