Vídeo simula como a tosse pode espalhar o coronavírus no local

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Aalto, na Finlândia, realizou uma simulação em vídeo sobre o potencial da tosse em tempos de coronavírus. Apresentando resultados assustadores ocorridos, no projeto, em uma criação de cenário similar a um supermercado, o caso definitivamente é um reforço para a importância da quarentena e do isolamento social mesmo quando envolvem questões de alta necessidade, como a ida para farmácias, mercados e locais emergenciais.

Publicado no site oficial da universidade, é possível identificar, no vídeo, que a tosse faz surgir uma enorme nuvem viral, podendo chegar a contaminar até seis pessoas instantaneamente, mesmo mantendo a distância de pouco mais de 1 metro recomendada pela Organização Mundial da Saúde.  “Alguém infectado pelo coronavírus pode tossir e se afastar, mas deixa para trás uma nuvem com partículas extremamente pequenas carregando o coronavírus. Essas partículas podem acabar no trato respiratório de outras pessoas próximas”, explicou Ville Vuorinen, professor da Universidade Aalto.

A simulação, que colocou uma pessoa em corredores estreitos e em um local fechado, similar aos encontrados em supermercados, considerando todo o movimento e os sistemas de ventilação do ambiente, baseou-se nos indicativos de partículas de aerossol no ar menores do que 20 micrômetros, levando em consideração que, em uma tosse seca, o tamanho das mesmas micropartículas é por volta de 15 micrômetros.

"Os resultados preliminares obtidos destacam a importância das recomendações de que você fique em casa se não estiver bem e mantenha distância física com todos," disse Jussi Sane, chefe do Instituto Finlandês de Saúde e Bem-Estar, em entrevista ao Daily Mail. "As instruções também incluem tossir na manga ou em um lenço de papel e cuidar de uma boa higiene das mãos."

Segundo os resultados obtidos, o potencial de espalhamento das partículas é incrivelmente rápido e denso, permanecendo no ar por cerca de poucos minutos e podendo contaminar, nesse intervalo de tempo, pessoas ligeiramente mais distantes do que as recomendações de proximidade, sendo posteriormente diluídas no ar, mas sendo levadas pelas correntes aéreas para outros locais.

O projeto, realizado com a utilização de supercomputadores e envolvendo mais de 30 pesquisadores de várias áreas da ciência, é um importante alerta aos cuidados higiênicos e, especialmente, para o respeito ao isolamento, a fim de evitar catástrofes maiores no planeta.

Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.