Seja o primeiro a compartilhar

Cachorros sentem o cheiro da covid-19 em quem não tem sintomas

Pesquisadores ingleses começaram a realizar treinamentos específicos em cachorros para fazer com que eles sejam capazes de reconhecerem o cheiro da covid-19. Dessa forma, os cientistas pretendem que os animais possam ajudar a identificar pessoas assintomáticas que estejam com a doença. A iniciativa parte de um estudo que comprova que as doenças possuem cheiros e como os cachorros possuem um olfato bastante apurado — já que ele pode ser até 100 mil vezes melhor que a média do ser humano — eles foram os escolhidos para essa pesquisa.

(Medical Detection Dogs/Reprodução)(Medical Detection Dogs/Reprodução)

O estudo que afirma que as doenças têm cheiros, por exemplo, já atestou que o da febre amarela se assemelha com carne crua. Já a tuberculose tem variações que vão de cerveja velha a uma salmoura. Segundo o professor James Logan, chefe do departamento de controle de doenças da Escola de Higiene de Londres e Medicina Tropical, em entrevista ao jornal The Guardian, os cachorros podem detectar o cheiro de uma simples dose de açúcar em um volume de água capaz de abastecer duas piscinas olímpicas. “É nesse nível”, afirmou.

O melhor amigo do homem

A pesquisa foi iniciada com um cachorro da raça cocker spaniel chamado Asher. Por conta de sua hiperatividade, não conseguiu um lar fixo, passando a ser um membro da Medical Detection Dogs (Cães de Detecção Médica, em uma tradução livre). A veterinária Claire Guest, no entanto, enxergou qualidades em Asher, que poderia ajudar na detecção de cheiros. Dessa forma, ao lado de Logan, passaram a treiná-lo para detectar o cheiro da malária em pessoas que poderiam estar infectadas.

Contudo, com a progressão dos casos de covid-19 no mundo todo, os planos dos dois passaram a ter outro foco e agora Asher treina para perceber o cheiro do coronavírus. Nesse sentido, a contribuição do animal pode ser muito pertinente, já que ele seria capaz de encontrar pessoas assintomáticas com a doença. 

Abaixo, um vídeo divulgado pela conta oficial no Twitter da instituição mostra Asher treinando seu olfato.

Além dele, outros cinco cachorros da mesma raça e também labradores estão treinando esse sentido apurado, com a supervisão de Claire, em Milton Keynes, na Inglaterra. Segundo ela, as amostras com odores da doença ainda estão sendo recebidas de diversos lugares do Reino Unido para serem analisados em laboratório. A expectativa da dupla é que os resultados da pesquisa estejam prontos e sejam eficazes até setembro deste ano.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.