Seja o primeiro a compartilhar

Maior raio do mundo é registrado no Brasil

Conforme informou a Organização Meteorológica Mundial (OMM) nesta sexta-feira (26), o maior raio do mundo em extensão já registrado até hoje foi o ocorrido no Brasil em outubro de 2018. Percorrendo uma distância de 709 km no sul do país, o raio quebrou o recorde anterior, registrado em Oklahoma, nos Estados Unidos, com 321 km. A OMM também anunciou o recorde do raio com maior duração já registrada. Ele aconteceu no norte da Argentina em março de 2019, com 16,73 segundos, mais que o dobro do recorde anterior ocorrido em Provence-Alpes-Côte d'Azur, na França em 2012.

Para que os números pudessem ser calculados, uma nova tecnologia que gera imagens por satélite foi acionada. Segundo a organização, os registros foram analisados a partir de uma mesma metodologia, que seria capaz de medir a extensão do flash com exatidão. Os especialistas, por meio de nota afirmaram que a distância registrada equivale à relação entre as cidades de Boston e a capital Washington, nos Estados Unidos ou também entre Londres e a fronteira da Suíça.

(OMM/Divulgação)(OMM/Divulgação)

No próximo dia 28 de junho será comemorado o Dia Internacional da Segurança contra Raios e para marcar a data, os registros foram publicados pelas Cartas de Pesquisa Geofísica da American Geophysical Union.

Raios e trovões

O professor Randall Cerveny, relator-chefe de extremos climáticos da OMM disse por meio de um comunicado que o registro realizado no Brasil poderá fornecer informações valiosas para o estabelecimento de limites à escala de raios, o que inclui os megaflashes. Isso vai contribuir para questões importantes do campo das engenharias, assim como na segurança e ciência.

“Esses são registros extraordinários de eventos únicos de relâmpagos. Eventos climáticos extremos são medidas vivas do que a natureza é capaz, bem como o progresso científico em poder fazer essas avaliações. É provável que ainda haja extremos ainda maiores e que possamos observá-los na medida que a tecnologia de detecção de raios melhorar”, contou o professor. 

(Fonte: Unsplash)(Fonte: Unsplash)

No Brasil, a incidência de raios é de cerca de 78 milhões por ano, de acordo com Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Ainda segundo o grupo, já morreram no país, entre os anos de 2000 e 2019, pouco mais de duas mil pessoas por conta de acidentes envolvendo raios. Isso significa que a cada 50 mortes por conta deste evento no mundo, 1 é registrada por aqui, sendo São Paulo o estado com o maior número de casos. Ao todo, são 327 óbitos.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER