Megalodon: berçários revelam lado cuidadoso de tubarão gigante

Entre 23 milhões e 3,6 milhões de anos atrás, uma espécie de tubarões gigantes habitou a Terra. Com comprimento estimado em 15 metros, acredita-se que os megalodons tenham sido a maior espécie de tubarões predatórios a já ter vivido no planeta.

Porém, apesar de sua descrição assustadora, um novo estudo revelou um lado meigo dessas grandes criaturas. De acordo com os pesquisadores da Universidade de Valência, na Espanha, os espécimes extintos eram donos de diversos “berçários” espalhados por todo o mundo, onde preparavam seus bebês para enfrentar os desafios da vida.

Os berçários de megalodon

(Fonte: Pixabay)
(Fonte: Pixabay)

Em 2010, cientistas descobriram o primeiro berçário de megalodons no Panamá. Desde então, mais cinco potenciais centros de cuidados para filhotes e jovens da espécie entraram para a lista. Recentemente, diversos fósseis desses tubarões foram vistos ao nordeste da Espanha, sendo a maioria de animais ainda noviços ou recém-nascidos.

Após uma analise laboratorial dos restos mortais, os pesquisadores acreditam que essa espécie de tubarão gigante utilizada os berçários para criar seus filhotes até que eles estivessem prontos para lutar pelas suas próprias vidas contra outros adversários vorazes no fundo do oceano.

O estudo também sugere que, conforme o número de espaços para o desenvolvimento dos espécimes mais jovens acabou caindo de proporção com o passar dos anos, esse fator possa ter contribuído para que a espécie entrasse em extinção.

Prática entre tubarões

(Fonte: Wikimedia Commons)
(Fonte: Wikimedia Commons)

Segundo a análise dos pesquisadores espanhóis, a concepção de berçários para a proteção de filhotes não era uma prática única dos megalodons — existindo também entre tubarões modernos. Um dos exemplos disso é o criadouro de diversas espécies desse animal localizada no norte da Patagônia, na Argentina. 

O berçário de tubarões mais antigo já encontrado pela ciência possui cerca de 200 milhões de anos, é o que sugere a análise laboratorial de ovos fossilizados e pequenas amostras de dentes de bebês tubarão de apenas 1 milímetro de comprimento. O local foi descoberto em 2011 no Quirguistão.

As informações obtidas recentemente sugerem que os megalodons somente alcançavam a fase adulta aos 25 anos de idade, quando “desabrochavam” sexualmente. Portanto, além de prevenir contra os ataques de outros predadores, os berçários eram uma medida protetiva para assegurar a reprodução da espécie. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.