Ciborgue do mundo real implanta nadadeiras no crânio

Em janeiro, o artista Manel de Aguas conseguiu realizar o seu sonho sendo um transespécie: implantar uma nadadeira no seu cérebro, que permite a ele “sentir” o tempo. Coisas como a temperatura ambiente, pressão atmosférica e a umidade do ar passaram a ser percebidas de forma diferente por ele.

O início do implante

(Fonte: Instagram/Reprodução)
(Fonte: Instagram/Reprodução)

A primeira vez que Manel de Aguas se tornou noticia foi por volta de 2017, quando fixou uma placa na parte de trás da sua cabeça que já o permitia sentir o clima. Porém, o objeto não estava completamente ligado a ele.

Após isso, o ciborgue da vida real começou a andar com uma espécie de nadadeira presa à lateral da cabeça, que o permitia sentir exatamente a mesma coisa. Manel diz que sempre acreditou estar ligado aos seres marinhos e, por isso, escolheu a nadadeira como forma de representar o que era.

Se tornando um ciborgue

(Fonte: Instagram/Reprodução)
(Fonte: Instagram/Reprodução)

Após ser recusado por médicos na Espanha, Manel viajou para o Japão e conseguiu convencer um cirurgião a fazer o seu implante. Com apenas 24 anos, o artista explicou, em uma entrevista à revista VICE, o que aconteceria com seu implante:

“A atmosfera vai soar dentro da minha cabeça e, dependendo das condições atmosféricas em qualquer momento, terei a experiência de estar submerso em um tipo de meio ou outro”, contou. “Sempre senti uma conexão especial com a chuva, então, quando descobri que havia uma maneira de ter essa sensação dentro de mim, achei que seria bom criar [um órgão] que me conectaria ainda mais com a chuva, assim como outros fenômenos atmosféricos”.

A transespécie

(Fonte: Instagram/Reprodução)
(Fonte: Instagram/Reprodução)

O movimento da transespécie vem aparecendo. Manel de Aguas é membro da Sociedade Espanhola de Transespécies, que inclui outras pessoas que, assim como ele, acreditam que sua existência vá além de um ser humano.

Aqui no Mega Curioso, já falamos do argentino Luis Padrón, que também se considera um transespécie, e quis se transformar em um elfo. Os implantes para melhorar a vida das pessoas já são uma realidade. Já é possível, inclusive, fazer paraplégicos voltarem a mexer as pernas. Agora, além de implantes por estética, também poderemos mudar nossas mentes.

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.