Seja o primeiro a compartilhar

Teste revela se ânus de gatos tocam onde eles sentam

Essa é uma pergunta que a gente nunca se fez, mas que agora estamos curiosos para saber a resposta: afinal, os ânus dos nossos gatos encostam nas superfícies em que eles sentam? 

Veja bem: os humanos têm nádegas escondendo o ânus. Então, mesmo que a gente esteja nu, o nosso "buraco" em si não vai encostar na cadeira ou sofá. Porém os gatos só tem um rabo e eles não sentam em cima dele... Ligue os pontos. 

Ainda bem que o pequeno americano Kaeder Henry, que está na sexta série, bolou um experimento científico inovador para sanar esta dúvida que já está causando insônia em 10 entre 10 donos de gato com mania de limpeza. 

Ele e sua mãe, Kerry, passaram batom vermelho (não-tóxico, é claro) no "bumbum" dos dois gatinhos da família, Taco e Maya. Então, fizeram os bichinhos sentarem em folhas de papel e outras superfícies para ver se ficava alguma mancha. 

Os resultados do experimento científico

O jovem cientista e seu trabalho (Fonte: Kerry Griffin/Facebook)O jovem cientista e seu trabalho (Fonte: Kerry Griffin/Facebook)

Respondendo à pergunta direto ao ponto: não, pelas experiências de Kaeden, o ânus do seu gato não encosta nas superfícies em que ele senta. Pode deixar o bichinho sentar no seu travesseiro e, depois, dormir nele tranquilamente. Nenhum dos testes resultou em qualquer mancha de batom, nem em superfícies rígidas (como a mesinha de canto e o piso da cozinha), nem em superfícies macias (carpete, colchão ou travesseiro). 

Para trazer ainda mais rigor científico à pesquisa e testar diferentes possibilidades, Taco tem pelo curto e Maya tem pelo longo. Alguns podem dizer que a amostra da pesquisa é pequena, mas a gente aqui acredita que esse experimento merecia ser publicado na revista Science, isso sim. De todo modo, a mãe de Kaeden postou a história em seu Facebook e ganhou mais de 26 mil reações e 8 mil compartilhamentos. 

O projeto foi realizado como parte da "Feira de Ciências" de Kaden, que é educado em casa pela mãe. Kerry, que the PhD em comportamento animal, deu nota máxima para o seu filho. Reconhecimento merecido e uma dúvida essencial da humanidade sanada. 

Veja mais fotos das fofíssimas "cobaias" do experimento:

Aqui, vemos um cientista concentrado com sua cobaia. (Fonte: Kerry Griffin/Facebook)Aqui, vemos um cientista concentrado com sua cobaia. (Fonte: Kerry Griffin/Facebook)

Além de contribuir para a ciência, Taco é muito fofo! (Fonte: Kerry Griffin/Facebook)Além de contribuir para a ciência, Taco é muito fofo! (Fonte: Kerry Griffin/Facebook)

O bumbum dos gatos foi testado em superfícies rígidas e macias (Fonte: Kerry Griffin/Facebook)O bumbum dos gatos foi testado em superfícies rígidas e macias (Fonte: Kerry Griffin/Facebook)

Essa é a Maya, a outra participante da pesquisa. (Fonte: Kerry Griffin/Facebook)Essa é a Maya, a outra participante da pesquisa. (Fonte: Kerry Griffin/Facebook)

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.