Seja o primeiro a compartilhar

A física por trás do bizarro pulo sem paraquedas em uma rede

Nascido nos Estados Unidos em 1973, o paraquedista norte-americano Luke Aikins decidiu chocar o mundo em 2016 quando realizou um salto em queda livre de uma aeronave a 7.620 metros de altura sem contar com um paraquedas como suporte. O local de aterrissagem? Uma rede gigante que absorveria o impacto.

Claramente, a façanha envolve diversos conceitos físicos que precisam ser compreendidos antes que qualquer pessoa tente reencená-la. Então, como foi que Aikins conseguiu sobreviver a queda? Entenda como é possível que uma pessoa realize um ato tão bizarro sem sair com grandes machucados.

Altura irrelevante

Ao vermos o vídeo de Luke Aikins pulando do avião, podemos ficar bastante chocados com a inacreditável altura da queda. Entretanto, a distância até o chão pouco importa nesses casos. Seja 7.620 metros de altura ou apenas metade disso, a velocidade final do corpo sempre será de aproximadamente 240 km/h.

Apesar de a velocidade de aceleração sempre ser maior para objetos que caem de distâncias maiores, é necessário considerar a resistência do ar — que nesse caso trabalhará em conjunto com o paraquedista. Essa força impacta qualquer objeto que atravessa o céu e pode ser sentida, por exemplo, quando colocamos a mão para fora da janela do carro em movimento.

A resistência do ar agirá como uma força contrária a força gravitacional, garantindo que o paraquedista caia em uma velocidade constante. Tendo isso em mente, cair de uma altura maior acaba sendo ainda melhor por permitir ao saltador ter mais tempo para realizar correções na queda ainda no ar.

Aterrisagem calculada

(Fonte: Luke Aikins/Divulgação)(Fonte: Luke Aikins/Divulgação)

Na hora de planejar a queda de um saltador, os quesitos mais importantes para se considerar são tempo e aceleração. Quando se realiza um salto de paraquedas, a ferramenta ajuda a desacelerar o ser humano por alguns segundos para que ele chegue no chão em uma velocidade aceitável. Caso contrário, o resultado poderia ser vários ossos quebrados ou até mesmo a morte.

E quando o objeto de aterrissagem é uma rede gigante? A única resposta seria confeccionar uma rede grande o suficiente para se estender por uma longa distância e também desacelerar o saltador. Portanto, o material da rede precisa ser um tanto elástico para evitar que rompa durante o impacto da queda.

Por fim, também é possível ver que Aikins muda a trajetória do seu corpo no fim do vídeo para cair de costas para a rede, evitando cair de mau jeito e fugindo de possíveis fraturas na absorção do impacto. 

Você sabia que o Megacurioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

Comentários

Você já percebeu que passamos por algumas mudanças por aqui, né? Uma delas é melhorar também o nosso campo de comentários - e nada melhor do que você, nosso leitor, para nos ajudar e garantir que a gente esteja no caminho certo. Substituímos temporariamente nossos comentários por uma pesquisa rápida para implementarmos mais uma melhoria. Como você acredita que nossa interação pode ser mais próxima aqui?

CLIQUE AQUI PARA RESPONDER