Ácido hialurônico: o que é e para que serve?

Você já ouviu falar na existência do ácido hialurônico? Utilizado com a função de gerar sustentação na pele, preencher e hidratar os tecidos, esse produto consegue disfarçar algumas rugas e também pode sumir com as olheiras. Por ser uma substância natural, o ácido hialurônico é reconhecido pelo corpo e possui menos complicações do que outros procedimentos estéticos.

Para isso, existem diferentes tipos desse ácido para cada cenário diferente de aplicação. No caso das olheiras, por exemplo, é necessário que a substância seja moldável e mais leve para não provocar deformações na pele. Por outro lado, o produto usado no rosto deve ser mais rígido e com alta concentração.

Aplicação estética

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Mesmo que ainda seja uma substância com menos consequências do que as vistas nas aplicações da toxina botulínica (Botox) ou o hidrogel, o ácido hialurônico também desperta um pouco de atenção. Em caso de aplicações incorretas por parte do profissional dermatologista, a agulha pode atingir alguma artéria e causar necrose, Acidente Vascular Cerebral (AVC) ou até mesmo cegueira.

Além disso, o excesso da substância no organismo é extremamente prejudicial à saúde. Nesses casos, o produto pode impedir a circulação de sangue por algumas regiões do corpo e começar a matar a pele por dentro. Nesses casos, é necessário a aplicação da enzima hialuronidase para destruir o ácido presente no corpo.

A recuperação para esse tipo de acidente costuma ser longa e deixar sequelas na pele por grandes períodos. Existem duas maneiras para as complicações vasculares aparecerem:

  • Em grandes quantidades, o ácido hialurônico espreme os vasos sanguíneos e impede a passagem de sangue
  • Em aplicações acidentais dentro de veias ou artérias, o uso do ácido em formato de gel gera a obstrução da circulação sanguínea

Autorização no Brasil

(Fonte: Pixabay)(Fonte: Pixabay)

Longe de ser uma substância ilegal em território brasileiro, atualmente o ácido hialurônico possui utilização autorizada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia para dermatologistas e cirurgiões plásticos. Entretanto, existe uma batalha jurídica constante para definir quem é que pode ou não fazer uso do produto.

Na opinião do Conselho Federal de Medicina, o procedimento é invasivo e não deveria ser utilizado por pessoas fora dos campos de atuação citados anteriormente. Por outro, como o ácido é regulamentado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o produto possui registro válido em todo Brasil. 

Além de dermatologistas e cirurgiões plásticos, biomédicos, farmacêuticos, dentistas e enfermeiros são outros profissionais que também utilizam o ácido hialurônico em algumas situações de trabalho. 



Você sabia que o Mega Curioso está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.